Quem procura umas rodas de estrada topo de gama (ou lá muito perto…) e a um preço “simpático”? Pergunta escusada… Mas o que é um preço “simpático”, afinal, quando o assunto são rodas de carbono para travões de disco? Por uma solução como estas rodas Prototype World Tour 3, com este nível de qualidade e desempenho, esse valor são os 1.690 euros que estão na etiqueta do preço deste modelo, acredite-se.

PUB
Orbea Genius Dealers

Um investimento desta ordem é sempre avultado, como sabemos, apesar de eventualmente compensador a vários níveis. De facto, estas World Tour 3 têm muito “argumentos” a seu favor… Primeiro, chegam-nos de um fabricante português, a Prototype.

Depois, refira-se que são compatíveis com pneus tubeless ou de câmara de ar. Mas talvez o mais interessante é que este modelo faz jus ao nome, sendo digno de equipar as melhores bicicletas do pelotão do World Tour, o escalão principal do ciclismo mundial.

Uma marca que é fornecedora também de várias equipas Continentais, entre elas as lusas Rádio Popular-Boavista, Kelly Simoldes UDO e LA Alumínios-Credibom-Marcos Car.

Ou seja, à partida são rodas reconhecidas, acolhidas e comprovadas, portanto, o que pode ser uma prova de qualidade e confiança. Mas será mesmo assim? Vamos dar uma olhada…

PUB
KTM

Relação qualidade/preço

Na prática, o que corresponde à boa relação entre valor e custo das novas rodas Prototype World Tour 3 são fatores como o peso reduzido, a rigidez e a boa resistência ao rolamento, um trinómio a que nenhum ciclista, do “pró” ao entusiasta, poderá ficar indiferente.

São rodas para competir, treinar ou simplesmente passear. Dizemos “simplesmente” não de forma depreciativa, porque a passear (ou melhor, a fazer quilómetros enquanto desfrutamos ao máximo da bicicleta e da volta…) ainda mais se requer a melhor qualidade ao mais baixo custo.

A qualidade de construção é percetível assim que retiramos as rodas da embalagem e continua a ser notória quando se procede à montagem.

Não andámos com elas o tempo suficiente para verificar este ponto, mas prevê-se uma elevada durabilidade, um elemento/fator sempre importante neste tipo de componente.

PUB
TrekFest 2024

Face a várias rodas que encontrámos de origem em vários modelos de bicicletas, de várias marcas, as Prototype World Tour 3 mostram-nos um desempenho muito agradável, aliando leveza, rigidez e resistência. Isto leva-nos a crer que permitem atingir níveis de performance bastante bons tendo em conta o preço.

Isto significa que nos parecem capazes de acrescentar valor, e isto sem desprimor de muitos outros modelos que conhecemos, modelos que também combinam bem no que toca ao referido trinómio principal, digamos assim: leveza, rígidez, resistência.

Novos cubos Evo R

O conceito por detrás desse desempenho baseia-se, primeiro, no novo cubo da gama Evo R. Foi “desenvolvido para a competição”, garante o fabricante, baseado num sistema de engrenagem de quatro pontos.

Este cubo, que tem a particularidade de já ter algumas das suas peças made in Portugal, conta com rolamentos ao nível de todo o conjunto e  sobredimensionados. Todo o sistema de fácil e rápida manutenção (requisito base para um produto de competição).

PUB
TrekFest 2024

Além disso, nesta nova geração World Tour 3 foram utilizadas resinas especiais, garante a marca, e há uma nova disposição de várias layers de carbono, isto face às antecessoras Pro Tour Disc, o que permite aumentar a rigidez e a absorção de vibrações.

Para um maior desempenho aerodinâmico, os raios têm um perfil específico e “inspirado nas asas dos aviões”, assume ainda a Prototype. Todos estes elementos não são “verificáveis” em teste, de certa forma, mas é certo que contribuem para que o produto final seja muito atrativo à vista, esteticamente, e também às necessidades de qualquer praticante de ciclismo.

Aros em carbono de 38 mm

Outro elemento que se destaca no conceito global das WorldTour 3 é o novo aro em carbono de 38 mm, como não podia deixar de ser. “Ainda mais reativo que os antecessores”, diz a Prototype. Desde logo, pela altura do perfil da jante (aro), afere-se estarmos perante umas rodas totalmente ‘all around, mas com alguma “inclinação” para montanha.

Quer isto dizer que estão prontas para fazer de tudo, ou quase tudo, leia-se proporcionarem uma boa performance a rolar, a subir, sob ventos cruzados… Digamos que não atingem um patamar de excelência total em nenhuma destas especialidades, são mais um modelo polivalente, o que acaba por ser muito mais útil, não?

Com tudo isto combina o preço, o que faz com que se posicionem entre as melhores escolhas do momento no que diz respeito a rodas de carbono para travões de disco.

Após os mais de 3.000 quilómetros que fizemos com estas novas World Tour 3 ficámos convencidos da sua mais-valia. Casam bem com qualquer bicicleta, incluindo as topo de gama. Até porque algumas dessas bicicletas, muitas a custarem mais de 10.000 euros, por vezes chegam de origem com rodas menos eficazes que estas.

Acumulámos também algumas dezenas de milhares de metros de desnível positivo durante os testes e isto faz com que as achemos boas companheiras em montanha.

Rolámos por quase todos os tipos de terreno (dos mais irregulares asfaltos até mesmo à terra batida), sempre com uma sensação de fluidez e baixa resistência ao rolamento, a que podemos juntar ainda uma característica não menos desprezível: o conforto.

A nossa avaliação

Estas Prototype podem não ser o jogo mais reativo e o mais rígido e leve que se pode encontrar na vasta oferta atual, mas posicionam-se um degrau imediatamente abaixo das melhores soluções, aquelas que podem custar 2.000 a 4.000 euros. Não estamos a ser demasiado benevolentes, parece-nos mesmo que este modelo é muito bom na relação desempenho/preço.

É verdade que algumas dessas rodas topo de gama marcam efetivamente a diferença face às restantes, mas os valores a dar por elas, tão exorbitantes, tornam bastante sensível a noção de proporcionalidade entre rendimento e custo. E isso ajuda à nossa sensação de que estas rodas lusas valem cada cêntimo do seu preço!

Uma escolha acertada entre as  rodas de carbono para travões de disco, sem dúvida, acima de tudo em termos de custo/qualidade. Para desfrutar e competir.

Ficha técnica das Prototype World Tour 3:

Aros:

  • Material: full carbon UD
  • Largura (interna/externa): 19/26 mm
  • Profundidade do aro: 38 mm
  • Tipo: pneu para câmara de ar/tubeless ready
  • Forma do aro: simétrico

Eixos/cubos:

  • Modelo: Evo R
  • Material: alumínio light-force
  • Rolamentos: selados – Prototype Pro 2
  • Sistema dos travões: Centerlock
  • Fixação: eixo passante

Compatibilidade de pneus:

  • Medida: 700c
  • Tipo: câmara e tubeless ready
  • Largura: 19 a 28 mm
  • Pressão máxima recomendada: 140 psi / 9 bar

Raios:

  • Modelo: aero 2.0
  • Raios (material): sandvik
  • Cabeças de raio (material): alumínio

Compatibilidade:

  • Roda frontal: 12 x 100 mm
  • Roda traseira: 12 x 142 mm

Opções disponíveis:

  • Cepo: Shimano 10-12x/Sram XDR/Campagnolo
  • Rolamentos cerâmicos
  • Cores: kit de autocolantes personalizados

Rodas e peso:

  • Disciplina: Estrada
  • Peso máximo do ciclista: 90 kg
  • Peso do par: 1.430 gramas

Site oficial:

Todas as fotos (clica/toca para aumentar):

Também vais querer ler…

A nova bicicleta da Credibom-LA Alumínios-Marcos Car: Swift Racevox

Bikes dos Prós: a MMR Kenta SL de Raquel Queirós e Lucía Gómez [com vídeo]

Também vais gostar destes!