Uma curiosidade: a Trek Supercaliber da 1ª geração foi a primeira bicicleta de BTT que testámos no GoRide.pt, ainda este site era também uma revista digital… Foi uma autêntica revolução entre os modelos de XC da Trek, com o sistema IsoStrut a ser novidade total na altura e a deixar-nos maravilhados…

PUB
Beeq

Hoje, continuamos com a mesma opinião: a Trek Supercaliber, agora na Gen2, é das mais rápidas e eficazes bicicletas de BTT do momento. Se estiver bem equipada como esta versão SLR 9.9 XX AXS aqui em teste, então é uma verdadeira “bomba”. Vamos então ver mais de perto todos os pormenores.

Comecemos por dizer que esta 2ª geração da Supercaliber é muito rápida em qualquer tipo de trilho! É uma bicicleta pensada para a competição de XCO, como sabemos, mas também consegue acelerar forte em qualquer percurso mais extenso ao fim de semana, em pleno XCM e/ou quando nos aventuramos com os amigos até um pouco mais tarde…

Como sabes, adoramos bicicletas que gostem de “andar para a frente” em terreno plano e a subir. Mais até do que aquelas que são boas a descer. Neste caso, a Supercaliber Gen 2 faz as duas coisas muito bem.

A descer corrige bem alguns erros e a suspensão frontal Rockshox Sid SL Ultimate de 110 mm mostra o que vale.

PUB
Nova Trek Supercaliber

Não sentimos necessidade de ter mais curso, ao mesmo tempo que a leitura do terreno é boa. Aliás, já conhecemos esta suspensão bastante bem, deste e de outros modelos que temos experimentado.

The second generation Trek Supercaliber: Fortune favors the fast

Sistema IsoStrut continua eficaz…

Depois, a subir, o sistema IsoStrut mais uma vez deixa a sua “marca”. Uma nota especial para o facto de este sistema exclusiva das Trek de BTT ter agora um amortecedor com 80 mm, um pouco mais do que tinha antes na Gen1.

What is Trek IsoStrut?

Neste caso é também uma unidade Rockshox Sid e mais uma vez deixamos a mesma impressão. Esta forma de integrar o amortecedor no quadro dá-nos “o melhor de dois mundos”, por assim dizer: acaba por ter amortecimento suficiente no eixo traseiro e, ao mesmo tempo, impede “desperdícios” de força na pedalada, dando-nos a sensação de irmos numa hardtail.

PUB
Nova Trek Supercaliber

Notamos efetivamente eficiência na pedalada. Aliás, este sistema faz com que não sejam precisos pivots nas escoras e faz também com que toda a geometria do quadro seja afinada para casar bem com qualquer tipo de ciclista de BTT, desde o mais iniciante até ao mais experiente que anda em competição.

Olhar para o quadro da Supercaliber Gen2 é um prazer.

O design da estrutura está mais compacto e apresenta-se com um top tube ligeiramente mais “curvo”, quase parecendo que é mais aerodinâmico. A bicicleta encaixa bem no ciclista e vice-versa.

Nesta versão SLR 9.9 XX AXS tudo isto é ainda mais “flagrante”, pois, além de ser uma das mais bem equipadas (e caras!), a bicicleta é muito leve. Sem pedais fica abaixo dos 10 kgs!

Trek Supercaliber Gen 2: A deep dive into the makings of a superbike

Muito carbono!

E isto porque são bastante os componentes e periféricos em carbono nesta versão da Supercaliber Gen2. O guiador é o belo Bontrager RSL, integrado e com 750 mm; confessamos que somos fãs desta “peça” e ficamos contentes por já termos andado em várias Trek com este sistema de guiador integrado. O teste à Procaliber de 2022 é um bom exemplo.

PUB
Nova Mondraker Dune

Por seu turno, o espigão telescópico presente de série nesta versão é o novo Fox Transfer SL, ao passo que as rodas são as nossas já conhecidas Kovee RSL.

E este é um dos pontos mais fortes desta versão da Supercaliber, pois estas são umas rodas em carbono que combinam muito bem leveza e rigidez… Não falham e é efetivamente um grande vantagem ter este par de rodas de origem numa bicicleta.

Contudo, lembramos que esta é uma bicicleta com um preço bastante elevado e não está ao alcance de todos…

Aliás, talvez este seja mesmo o único ponto menos positivo da Trek Supercaliber Gen2… Tal como acontece com as topo de gama de outros fabricantes de renome, este é um modelo muito exclusivo e em patamares de preço elevados.

Voltamos às rodas para falarmos de novo de pontos positivos. Neste caso, os pneus, que são uma novidade nas nossas mãos… Quando foram oficialmente apresentados, ficámos curiosos em ver como se comportam; agora, como estão de origem nesta Supercaliber, eis que os Bontrager Sainte-Anne RSL XR se mostram uns pneus muito eficazes em qualquer tipo de terreno.

Uma nota interessante: estes pneus surgem aqui na medida 2.2, o que contraria um pouco as tendências mais recentes nas bicicletas de XC, que têm aparecido com 2.4 em ambas as rodas ou por vezes na da frente apenas. Gostamos que assim seja e refira-se que ter 2.2 contribui aqui bastante para a velocidade com que a Supercaliber Gen2 “dispara” nos trilhos.

Talvez não sejam pneus para todos os tipos de ciclistas de XC, mas de facto ainda não notámos qualquer falta de tração a subir ou em curva, isso é certo. Na travagem, temos os Level Ultimate de 4 pistões, talvez os travões mais eficazes da Sram atualmente. Nada a assinalar aqui, performance adequada.

Sram XX SL AXS!

Quanto à transmissão, eis outra “maravilha”: o conjunto eletrónico XX SL Eagle AXS, que, como é normal, não falha mesmo sob pressão. Prato 34 no pedaleiro e cassete 10-52.

Este é também um sistema que já conhecíamos de outros modelos e continuamos com a mesma impressão: muito bom e fiável, mas menos “suave” nas transições do que o conjunto Shimano XTR.

Por fim, e por não ser fácil encontrar pontos menos positivos numa “máquina como esta”, somos “obrigados” a falar de novo do preço desta Trek Supercaliber SLR 9.9 XX AXS Gen2, que vai bem acima dos 10.000 euros. As bicicletas neste patamar de engenharia e componentes são caras, não há nada a fazer.

Contudo, nota-se a ausência de um potenciómetro integrado no pedaleiro. Dado o valor total deste modelo, justifica-se… Adicionalmente, também teria sido bom encontrar um disco de travão de 180 mm na roda da frente.

Sentimo-nos uns privilegiados por podermos andar com várias bicicletas deste calibre ao longo do ano e damos os parabéns a quem tem orçamento para ter uma destas na garagem. É bom que a aproveitem bem!

Ficha técnica da Trek Supercaliber SLR 9.9 XX AXS Gen2:

Quadro: Carbono OCLV Mountain SLR, IsoStrut, UDH, curso de 80 mm / Suspensão frontal: RockShox SID SL Ultimate, 110 mm / Amortecedor: RockShox SIDLuxe / Guiador e avanço integrados: RSL Bontrager / Espigão telescópico: Fox Transfer SL / Selim: Aeolus RSL / Travões: Sram Level Ultimate (discos 160 mm) / Rodas: Bontrager Kovee RSL / Pneus: Bontrager Sainte-Anne RSL XR 2.2 / Cranques e pedaleiro: Sram XX SL Eagle, 34t / Transmissão: Sram XX SL Eagle AXS 12x (cassete Sram Eagle XS-1299, 10-52t) / Peso: 9,63 kg / Preço: 10.249 euros

Pormenores:

Galeria de fotos:

Mais info:

Neste teste:

  • Texto e teste: Nuno Margaça
  • Rider nas imagens: Nuno Margaça
  • Fotos e vídeo: Jorge D. Lopes

Caso detetes algum erro ou tenhas informação adicional que enriqueça este conteúdo, por favor entra em contacto connosco através do email geral[arroba]goride.pt.

Também vais gostar destes!