Tom Pidcock junta agora o título de campeão do mundo em BTT na vertente de XCO ao seu título olímpico. O britânico fez uma corrida “de trás para a frente”, partindo da quinta fila e sendo assim o mais forte entre os favoritos. Mathieu van der Poel abandona na primeira volta devido a queda…

PUB
TrekFest 2024

A corrida no traçado de Loch Lomong começou de forma explosiva e as primeiras voltas foram lideradas pelo defensor do título, Nino Schurter (Suíça) e por Alan Haterly (Africa do Sul) e Jordan Sarrou (França).

Estes três corredores colaboravam já de forma “calma” e isolados do grupo, não fosse o sinal de alerta soar devido a um Pidcock que vinha a “voar” nos trilhos e subidas do traçado. Isto obrigou o próprio Nino Schurter a intensificar os andamentos na frente da corrida.

Contudo, o campeão olímpico estava em “dia sim” e na quarta volta já havia alcançado o trio da frente. Sarrou é depois o primeiro a mostrar fraqueza e a não aguentar o novo ritmo imposto por Tom, mas pouco depois também Haterly descai no grupo e perde contacto.

O confronto de gerações tornou-se então o confronto pela vitória final. Tom Pidcock, a duas voltas do fim, deixa Schurter completamente parado na primeira subida do circuito.

PUB
Schwalbe Pro One Tubeless

Schurter recebe ainda a companhia de Sam Gaze (Nova Zelândia) que vinha lançadíssimo para a frente da corrida num ritmo infernal. Embora suficiente para ultrapassar Nino, não foi o suficiente para alcançar o britânico, que venceu em casa. Sam Gaze leva a prata e o dez vezes campeão mundial Nino Schurter fecha com o bronze.

Relembra-se que há dois dias, na disciplina de XCC, Sam Gaze foi o vencedor. O pódio ficou completo com o francês Victor Koretzky e com Tom Pidcock, que fechou com a medalha de bronze.

Mais info:

Lê também:

Mundiais de Ciclismo: Pauline Ferrand-Prévot faz a ‘dobradinha’ no XCC e XCO

PUB
Riese & Müller Multitinker

Imagens: UCI

 

 

Também vais gostar destes!