Absolutamente, acima dos restantes. E muito! Em dia de regresso ao ciclocrosse, na 3.ª prova do Troféu X2O, disputada em Herentals (Bélgica), Mathieu van der Poel (Alpecin-Deceuninck) colocou a fasquia um nível acima do que fizera o arquirrival Wout van Aert quando se estreou há uma semana.

PUB
Nova Trek Supercaliber

O neerlandês, campeão mundial em título, enfrentou uma concorrência bastante mais forte do que o belga da Jumbo-Visma e foi ainda mais esmagador do que este, liderando do primeiro ao último metro. E desde a primeira volta com uma vantagem arrasadora sobre os oponentes.

Entre estes esteve o campeão mundial anterior, o britânico Tom Pidcock, outros dos Big Three do ciclocrosse, igualmente a retornar à disciplina, mas muitíssimo mais discreto do que Van der Poel, iniciando com cautela, a meio do pelotão e recuperando volta a volta até concluir no… segundo lugar! São corredores de outro… planeta!

Mas numa galáxia à parte esteve Van der Poel. Desde a primeira das oito voltas, percebeu-se que o neerlandês não estava para contemplações, e quando acelerou deixou todos os adversários para trás, com destaque para os especialistas Eli Iserbyt e Michael Vanthourenhout (Pauwels Sauzen-Bingoal) e Lars van der Haar (Baloise-Trek Lions).

PUB
Giant TCR 2024

 

Autor de uma demonstração física e técnica – apesar de uma pequena queda pouco depois da metade da prova – Van der Poel, que almejará o sexto título de campeão mundial no início de fevereiro em Tabor, rapidamente abriu uma vantagem de cerca de 30 segundos, só à última volta, ao relaxar, deixou-a baixar para 20 segundos.

Tom Pidcock (INEOS Grenadiers), bem longe no início da corrida, foi aos poucos recuperando em velocidade de cruzeiro, o que lhe permitiu alcançar o pequeno grupo que lutava pelo segundo lugar. Mais forte que os rivais na última volta, o campeão mundial de 2022 superou Lars van der Haar e Eli Iserbyt, que tiveram de se contentar, respetivamente, com o terceiro e o quarto lugares. Outro britânico, Cameron Mason (Cyclocross Reds), completou o top 5.

“Rapidamente dei por mim sozinho. Tive imediatamente um bom avanço. Depois disso, foi uma hora bastante longa… Sentia-me bastante forte e sabia que a ‘Ski Mountain’ era o ponto mais difícil do circuito. E senti-me bem, por isso entrei imediatamente no ritmo certo”, contou Van der Poel após a corrida.

“Se foi aborrecido andar sozinho durante uma hora? Claro que não, gostei muito. Tive apenas um momento de desatenção, quando caí. Mas, tirando isso, foi bom estar de volta”, concluiu o campeão do mundo.

PUB
Riese & Müller Multitinker

Após esta corrida de Herentals, as coisas ficam mais próximas entre os dois primeiros na classificação geral do X2O Badkamers Trofee. Eli Iserbyt, graças aos bónus arrecadados no final da primeira volta, ficou apenas a 9 segundos do líder Lars van der Haar. Cameron Mason perdeu terreno para o belga e o neerlandês, e está agora a 1.15 minutos de van der Haar na terceira posição.


Imagens X2O Twitter

Também vais gostar destes!