A Trek-Segafredo quer sempre mais e tenta sempre preparar as temporadas para alcançar esse “mais”. No entanto, entre ciclistas que acabam por não corresponder ao esperado, ou outros que demoram mais a evoluir do que inicialmente previsto, a Trek-Segafredo vai ficando satisfeita com as temporadas, mas… a pensar em mais.

PUB
Prototype

Ciclistas de qualidade não faltam (nunca faltaram nesta equipa). Bauke Mollema e Jasper Stuyven são exemplo disso mesmo. Já foram protagonistas de grandes momentos e continuam a ser as principais figuras com que se pode sempre contar para estar na discussão das grandes corridas, um mais para as provas por etapas, outro um senhor das clássicas.

Depois há Tony Gallopin, um dos exemplos de quem não consegue corresponder às expectativas criadas há uns anos, Giulio Ciccone demora em mostrar regularidade nas exibições. Kenny Elisonde redescobriu o seu melhor na Trek-Segafredo, Edward Theuns é um dos homens de confiança na estrutura. E claro: Mads Pedersen.

O dinamarquês começou a carreira um pouco… ao contrário. Ou seja, em 2019, com apenas 23 anos, surpreendeu ao sagrar-se campeão do mundo no dilúvio de Yorshire. Porém, a sua evolução como ciclista tem sido feita desde então e, em 2022, pode-se dizer que atingiu definitivamente a maturidade.

Uma vitória de etapa no Tour, três na Vuelta, mais camisola dos pontos foram pontos altos de uma época muito positiva. Mas esta Trek-Segafredo, lá está, quer mais…

Juan Pedro López está a tornar-se num dos rostos da equipa americana. O espanhol andou de rosa no Giro e mesmo tendo desiludido na Vuelta, a Trek-Segafredo acredita que tem em mãos um voltista para sonhos altos. Até antecipou a sua renovação.

E é nesta geração com 25 ou menos anos que a Trek-Segafredo começa a concentrar-se. Antonio Tiberi e Quinn Simmons foram contratados pouco depois de conquistarem os títulos mundiais de juniores em contrarrelógio e fundo, respetivamente, em 2019. Passaram por todo o processo de evolução (que irá continuar) sem pressa e demasiada pressão, mas a responsabilidade e exigência vai subir de nível.

PUB
Prototype

A Trek-Segafredo contratou apenas três ciclistas para a nova temporada e o mais velho tem 23 anos, o eritreu Natnael Tesfatsion, homem para a montanha. O checo Mathias Vacek respirou de alívio ao poder retomar a sua carreira. Iniciou bem 2022 – até venceu uma etapa na Volta aos Emirados Árabes Unidos, corrida World Tour, mas com o fim da equipa russa Gazprom-RusVelo teve de procurar outra solução para a sua carreira.

A Trek-Segafredo abriu-lhe as portas em agosto como estagiário e Vacek aproveitou muito bem. Será um reforço interessante para provas de um dia, e para “caçar” etapas.

Chega ainda Thibau Nys. O apelido não engana: é filho da lenda belga de ciclocrosse Sven Nys. O jovem de 20 anos também tem estado dedicado a esta vertente, representando a Baloisa-Trek Lions. Agora muda-se para a formação da Trek de estrada, sendo expectável vê-lo mais, por agora, nas clássicas.

Depois de 19 vitórias e 0 12º lugar no ranking UCI, a Trek-Segafredo olha para esta nova geração com esperança que possa finalmente alcançar aquele “mais”.

Reforços: Mathias Vacek (Che, 20 anos, Gazprom-Rusvelo, estagiou na Trek-Segafredo a partir de agosto), Natnael Tesfatsion (Eri, 23, Drone Hopper-Androni Giocattoli) e Thibau Nys (Bel, 20, Baloise-Trek Lions, ciclocrosse).

PUB
Specialized Levo

Permanências: Alex Kirsch (Lux, 30), Amanuel Ghebreigzabhier (Eri, 28), Antonio Tiberi (Ita, 21), Antwan Tolhoek (PB, 28), Asjborn Hellemose (Din, 23), Bauke Mollema (PB, 36), Daan Hoole (PB, 23), Dario Cataldo (Ita, 37), Edward Theuns (Bel, 31), Emils Liepins (Let, 30), Filippo Baroncini (Ita, 22), Giulio Ciccone (Ita, 28) Jacopo Mosca (Ita, 29), Jasper Stuyven (Bel, 30), Jon Aberasturi (Esp, 33), Juan Pedro López (Esp, 25), Julien Bernard (Fra, 30), Kenny Elissonde (Fra, 31), Mads Pedersen (Din, 27), Marc Brustenga (Esp, 23) Markus Hoelgaard (Nor, 28), Mattias Skjelmose (Din, 22), Otto Vergaerde (Bel, 28), Quinn Simmons (EUA, 21), Toms Skujins (Let, 31) e Tony Gallopin (Fra, 34).

Saídas: Alexander Kamp (Din, 29, Tudor Pro Cycling Team), Gianluca Brambilla (Ita, 35, Q36.5 Pro Cycling Team), Jakob Egholm (Din, 24, Restaurant Suri-Car Ras), Matteo Moschetti (Ita, 26, Q36.5 Pro Cycling Team), Simon Pellaud (Sui, 30, Tudor Pro Cycling Team).

Também vais querer ler…

Team Jayco AlUla em reestruturação, reforça bloco da montanha mas sempre a pensar em ‘caçar’ vitórias

Fotografia: Luca Bettini/SprintCyclingAgency/Facebook Trek-Segafredo

Também vais gostar destes!