A gama de sapatos de ciclismo Trek é hoje fortemente alargada com estes três modelos para estrada que desde já apresentam três características em destaque: a nova tecnologia Metnet (já lá vamos…), o bom aspeto visual (que vemos nas imagens e confirmamos na prática!) e o carbono na sola. Falamos dos Trek RSL Knit, RSL Road e Velocis.

PUB
Specialized Levo

Estes novos sapatos foram desenhados utilizando as informações e o feedback dos ciclistas profissionais da Lidl-Trek, refere a marca. E isto só pode ser um bom indicador. Entretanto, refira-se que aqui no GoRide já andamos a testar estes três novos pares de sapatos e as primeiras impressões são excelentes.

O topo de gama RSL Knit destaca-se pela leveza e pela parte de cima em tecido muito maleável; o RSL Road é um pouco mais rígido, dá boa resposta; e o Velocis, o modelo mais acessível, parece ter uma boa relação qualidade/preço.

Trek RSL Knit (449 euros)

Trek RSL Road (399 euros)

Trek Velocis (249 euros)

PUB
Orbea Genius Dealers

Em geral nota-se um bom ajuste ao pé em todos eles, eventualmente devido às zonas de descompressão trazidas pela tecnologia Metnet. Mas em breve teremos vídeo review e teste completo aqui no GoRide. Entretanto, vejamos do que se trata a tecnologia Metnet e os pormenores de cada modelo.

“Mais conforto sem comprometer o desempenho”, diz a Trek sobre estes novos sapatos e sobre a nova tecnologia Metnet aplicada em todos eles. “Um design responsivo que permite ao sapato esticar e comprimir em volta do antepé, aliviando eventual desconforto”, completam.

Basicamente, este novo design MetNet adiciona à parte cima do sapato zonas de descompressão com o objetivo de reduzir o aperto e aumentar o conforto.

Pretende-se acabar com aqueles momentos de dormência ou perda de sensibilidade após alguns kms, pois estas secções Metnet prometem fazer com que o sapato esteja ajustado ao pé.

PUB
Prototype

Sapatos de ciclismo Trek RSL Knit

Os Trek RSL Knit são uns sapatos de ciclismo concebidos para quem procura um corte justo e com um ajuste personalizado. Estão no topo da gama, custando 449 euros, e apresentam um aspeto bastante diferente do habitual, com a parte de cima em tecido.

Estão presentes as tais zonas de descompressão alusivas à tecnologia Metnet, neste caso com umas bandas de suporte ligadas a dois discos de aperto BOA Li2.

A sola é inteiramente feita com o carbono OCLV, uma característica comum aos três modelos agora apresentados.

Trek RSL Road

Os RSL “normais”, por assim dizer, são um pouco mais baratos (399 euros), mas partilham muito com os Knit, a começar pela sola em carbono OCLV, como seria de esperar.

O design é menos irreverente, por assim dizer, com uma gáspea sintética clássica e com as zonas de descompressão Metnet em pontos chave da parte de cima do sapato, que é feita com um material sintético que parece “aguentar” melhor a água ou os elementos. Também aqui há dois discos de aperto BOA Li2.

Refira-se que estes são os sapatos oficiais da equipa profissional de ciclismo Lidl-Trek para esta temporada que agora inicia.

Trek Velocis

Depois os Velocis, que custam 249 euros. São uma evolução da geração anterior deste modelo, naturalmente, e diz a Trek que “valorizam o conforto, a transferência de potência e o desempenho”. 

PUB
KTM

A sola em carbono OCLV é o principal atrativo, enquanto na parte superior do sapato estão também zonas de descompressão Metnet e micro-perfurações em localizações chave para promover a ventilação do pé.

Comum aos três modelos está também a estreia das novas palmilhas de ciclismo BioDynamic, uma versão melhorada das palmilhas Bontrager InForm, “com melhor suporte para o calcanhar e ajuste do pé”, garantem. Estas palmilhas foram concebidas em colaboração com a Superfeet e são feitas com 70% de material reciclado.

Mais info:

Também vais gostar destes!