O selim é sempre um tema delicado. Ora gostamos de um modelo, ora não gostamos de outro… Há quem se adapte a um e há quem não consiga suportar outro, tendo mesmo de trocá-lo por um novo. Perante um componente assim tão “subjetivo”, nem sempre é fácil começar um teste deste genero. Mas a verdade é que a nossa experiência com o Fizik Vento Antares R3 tem sido  muito positiva, surpreendente até!

PUB
KTM

Este parece-nos ser um modelo fiel às suas origens competitivas: é leve (q.b.), versátil e apresenta-se com uma qualidade de construção muito satisfatória.

Estamos cientes de que este não é o topo de gama deste fabricante italiano, embora o Vento Antares R3 incorpore muitas das tecnologias que vemos em selins mais caros, tanto desta marca como de outras. Ora vejamos.

Está disponível em dois modelos, o de 140 mm e o de 150 mm de largura. Testámos este último, que pesa 202 gramas, conta com rails de 7 x 7 mm e comprimento de 265 mm.

A estrutura principal está reforçada com inserções em carbono e os rails são fabricados em Kium, matéria prima que oferece baixo peso e rigidez, de certa forma. Há mais leves, mas está muito bem, este.

PUB
Giant TCR 2024

O ‘feeling’

O selim Vento Antares R3 agradou-nos pela sua estética e simplicidade. Um selim que para o preço que apresenta (149 euros) oferece uma boa experiência de utilização, algo que conseguimos confirmar na “pele” após dois meses de uso intensivo em estrada.

Dado o design aprimorado ao longo de várias épocas junto dos profissionais, a nossa habituação foi rápida. Claro que ao trocarmos de selim sentimos diferença… Este Vento Antares R3 é mais “rijo” do que o modelo com que estávamos a andar antes, embora não comprometa o conforto.

Na estrada

O selim permite adotar várias posições na bicicleta, sejam elas mais aerodinâmicas, com as mãos nos drops, por exemplo, ou mais “direitas”, posição que normalmente colocamos em cenários de subidas, com as mãos no topo do guiador. Notámos que, em qualquer um destes cenários, conseguimos sempre uma boa posição para exercer força nos pedais.

PUB
Schwalbe Pro One Tubeless

O canal central de alivio de pressão funciona. Felizmente não lidámos com problemas de dormência nas zonas/tecidos moles. Isto não será igual para todos, porque cada ciclista é diferente, mas para nós resultou bem.

Dado o seu design é também fácil de alternar a nossa posição em cima do selim: facilmente deslizamos um ou dois centímetros para a frente (ou para trás) e alteramos a zona de contacto entre o corpo e o selim, alcançando mais conforto durante mais tempo.

Outro ponto que identificámos é  que não existe um roçar das pernas no selim aquando do movimento de pedalar, existe espaço para que tudo se desenrole fluentemente. Até porque não é demasiado largo, como se vê.

Não notámos sinais de desgaste permanente ao fim deste tempo de uso. Em termos estruturais está bem construído, com bons materiais. A zona de assento, a superior, apresenta um tecido resistente e que não apresentou ainda qualquer evidência de desgaste após estes dois meses de utilização.

Pode aparentar ficar com um “ar” mais gasto, ou “coçado”, por vezes, mas com um passar de pano húmido volta a ficar como novo.

PUB
Specialized Levo

Em suma…

Acima do resto, o selim Fizik Vento Antares R3 é uma boa opção preço-qualidade, especialmente para quem procura poupar umas gramas sem “rebentar” com o orçamento.

Como sabemos, o selim é um componente muito pessoal, e idealmente convém experimentar primeiro cada modelo ou até consultar um especialista em bikefit. Contudo, tendo em conta aspetos como design, conforto, peso e preço, esta pode ser uma opção a ter em conta.

Mais info:


Créditos imagens: site oficial Fizik e GoRide

Também vais gostar destes!