Remco Evenepoel falou pela primeira vez sobre a sua participação no Giro, neste regresso à competição sem ter… competido. Na conferência de imprensa no dia de descanso da prova italiana esta terça-feira, belga falou demoradamente com os jornalistas, começando por destacar algo que considera definidor do seu sentimento após a primeira semana da corrida.

PUB
Giant TCR 2024

“Recentemente surgiu um pequeno lembrete no meu telemóvel que me fez saber que há ainda três meses não podia treinar na estrada, só nos rolos, e que cumpria um programa de recuperação muscular no ginásio”.

“Quando estou a competir, não penso muito nisso, mas quando me sento e descanso no autocarro da equipa, penso ‘uau, este é a minha primeira grande volta’. É uma loucura poder estar ao nível dos melhores do Giro após três meses de treino e seis ou sete meses… de nada. É incrível o que estou a fazer”, destacou o corredor da Deceuninck-QuickStep.

Dez dias depois do início do Giro, Evenepoel está atualmente em segundo lugar geral, a 14 segundos do líder da corrida Egan Bernal (Ineos Grenadiers). “Se calhar, na próxima semana eu já esteja em décimo”, ressalvou o jovem ciclista. “Por enquanto, tudo está a correr bem, mas depois de nove meses sem correr, não posso prever como vou irei sentir daqui para a frente”.

Duelo com Bernal

Embora Egan Bernal tenha sido o mais forte nas subidas na primeira semana do Giro, Evenepoel poderá ter a seu favor o único contrarrelógio do Giro, em Turim, no último dia.

PUB
Beeq

“Para mim, seria sido melhor se o contrarrelógio estivesse a meio do Giro, como no ano passado. Mas teremos um esforço máximo individual em 30 quilómetros ou 40 minutos no último dia e isso pode ser decisivo”.

“Para mim, o mais importante é não perder muito tempo, cada segundo que consigo ganhar é um segundo a menos, e é por isso é que vou à procura das bonificações”, comentou Evenepoel. “Os 10 primeiros que estão a um minuto ou menos da liderança, todos nós ainda não perdemos nem ganhámos nada. É sempre bom estar mais perto do líder, mas todos sabem que a vitória final não vai ser decidido em segundos, mas em minutos”, considerou.

A etapa de amanhã no ‘sterrato’

PUB
Beeq

O contrarrelógio e as montanhas serão decisivos, segundo Evenepoel, mas o belga não descarta a etapa de amanhã, na terra batida da Strade Bianche, embora desconheça como é correr no ‘sterrato’. “Perguntei esta manhã se poderíamos fazer uma secção de treino nessa parte do percurso, mas os nossos mecânicos estiveram muito de acordo, pois terão muito trabalho amanhã à noite, depois da etapa, por isso darei apenas uma pequena volta”.

“O tempo amanhã [quarta-feira] pode estar bastante quente, pode haver muita poeira. Será possível ganhar tempo, mas é fácil perder tempo. Não tenho certeza se haverá grandes diferenças, mas estou à espera de uma grande batalha”.

“Para já, estou feliz por estar em segundo lugar atrás do vencedor do Tour de França [de 2019], depois de uma semana na minha primeira grande volta. É como um sonho. Estou muito feliz, por mim e por nós [Deceuninck-QuickStep]”, concluiu Remco Evenepoel.

Também vais gostar destes!