Foram 65 atletas de 21 países – incluindo Portugal – que estiveram em Santiago, para mais uma final do Red Bull Pump Track World Championships. Depois de Lisboa em 2021, foi a vez da capital chilena ser o palco da consagração, com a suíça Christa von Niederhäusern e o neerlandês Niels Bensink a vestiram as camisolas arco-íris.

PUB
Schwalbe Pro One Tubeless

Sucedem assim à belga Aiko Gommers e ao francês Eddy Clerte, que há um ano conquistaram os títulos mundiais no Parque das Nações. Para Christa von Niederhäusern foi um momento histórico, pois venceu a competição pela segunda vez, nunca falhando um pódio nas finais desde a primeira edição, em 2018.

Mas a suíça não teve vida fácil. O top 4 terminou no mesmo segundo, com centésimos de segundo a separar as atletas. A checa Sabina Kosarkova e a letã Vineta Petersone completaram o pódio, com Aiko Gommers a ficar desta feita fora das medalhas, no quarto lugar.

Portugal esteve representado por uma atleta no Red Bull Pump Track. Mónica Gaboleiro terminou na 29ª posição.

A corrida masculina foi também plena de emoção, com apenas 30 centésimos a separar os dois primeiros. Niels Bensink superiorizou-se ao americano Alec Bob, com o francês Thibault Dupont a repetir o terceiro lugar de Lisboa.

PUB
Specialized Levo

Há um ano,  havia sido Bensink a ficar à porta das medalhas, mas no Chile alcançou o tão desejado título mundial.

De referir que o Pump Track é reconhecido pela UCI desde 2018. Consiste em evoluir numa pista de alcatrão, composta por uma sucessão de rolos e curvas. Tal permite os corredores progredir praticamente sem pedalar, ou seja, usando o balanço do corpo.

É uma modalidade que atrai atletas de diferentes estilos, casos do Downhill, Dirt Jump, Four-Cross e BMX Race, esta última uma modalidade olímpica.

Mais info: 

Também vais querer ler…

‘Breaking the Tape’: Manter vivo o Four-cross [com vídeo]

PUB
Prototype

Fotografias: Alfred Jürgen Westermeyer/Red Bull Content Pool

Também vais gostar destes!