Mais uma prova que não se realiza na data prevista em Portugal. Depois do adiamento da Volta a Portugal, é o Troféu Joaquim Agostinho que sofre o mesmo destino, com a diferença que já tem uma nova data: 19 a 20 de setembro.

A corrida já tinha sido reduzida de três para dois dias, mas devido a um caso positivo de covid-19 entre os membros da organização, a decisão foi adiar a prova, pois vários elementos tiveram de entrar em quarentena. Para o pelotão é mais uma desilusão, pois do calendário inicialmente apresentado para a retoma do ciclismo por cá, apenas se realizou a Prova de Reabertura. Ficam, para já, marcados os Nacionais, entre 21 e 23 de agosto.

As duas corridas de um dia em Oliveira de Azeméis, que estavam agendadas para o fim de semana passado foram sido canceladas e as equipas portuguesas esperam cada vez mais ansiosamente que a Volta a Portugal não siga o mesmo caminho, depois de alguns municípios terem recusado receber a prova este ano.

Justificação para adiamento

A organização do Troféu Joaquim Agostinho explicou num comunicado o que levou à decisão de adiar uma das corridas mais importantes do calendário nacional (e é uma prova com categoria internacional – 2,2).

“Consciente do empenho e esforço realizado em colocar a prova na estrada a Organização do Grande Prémio Internacional de Ciclismo de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho informa que foi atingida com um caso de Covid – 19, que originou período de quarentena para vários membros”, lê-se no comunicado.

“A Organização entende que neste momento avaliado o risco e a situação epidemiológica o melhor é o adiamento da prova, para os dias 19 e 20 de setembro, decisão consensual entre os presidentes da Organização, da Federação Portuguesa de Ciclismo e da Câmara Municipal de Torres Vedras.”

2020 com quatro corridas apenas em Portugal

Devido à pandemia, um calendário que já não era muito extenso, acaba por estar reduzido apenas a quatro corridas. Em fevereiro a Prova de Abertura Região de Aveiro marcou o arranque de uma temporada que longe se imaginaria que se tornaria num pesadelo. Seguiu-se a Volta ao Algarve e a Clássica da Primavera, esta última em março e a última competição antes da paragem forçada.

As nove equipas portuguesas Continentais e as equipas de clube (sub-23) regressaram à estrada no domingo 5 de julho. A Prova de Reabertura foi um contra-relógio individual no concelho de Anadia, que também serviu para testar as medidas de segurança sanitárias implementadas pela Federação Portuguesa de Ciclismo, que foram aprovadas pela Direção-Geral da Saúde e pelo governo.

De referir que as equipas de clube não podem participar na Volta ao Algarve, que também não contou com o Feirense, entre as formações de elite.

Alberto Gallego (Rádio Popular Boavista) triunfou na Prova de Abertura e Luís Gomes (Kelly-InOutBuild-UD Oliveirense) na Clássica da Primavera. Foram as únicas vitórias das equipas portuguesas em 2020.