Rui Costa não fez por menos. No regresso das corridas de ciclismo em Portugal, o campeão do mundo de 2013 venceu o contrarrelógio de 22 quilómetros no concelho de Anadia. A Prova de Reabertura teve a presença de outros ilustres portugueses do World Tour, mas no pódio estiveram além do ciclista da UAE Team Emirates, dois especialistas desta vertente do pelotão português.

- - - Pub - - -

Specialized Recolha em Loja

Rafael Reis, este ano no Feirense, ficou a apenas três segundos de Rui Costa, que completou a distância em 28:10 minutos. Seguiu-se Gustavo Veloso (W52-FC Porto), que aos 40 anos mostrou que continua a ser um referência no contrarrelógio. Fez mais 22 segundos, deixando outro candidato, Ivo Oliveira (UAE Team Emirates), em quarto. O ciclista de Gaia fez mais 35 segundos que o vencedor.

Satisfação pelo regresso vitorioso

A Prova de Reabertura pode estar longe da realidade de uma prova World Tour, mas Rui Costa garantiu que esteve em Anadia com a intenção de estar forte. “Foi um bom teste, tive boas sensações”, disse o ciclista, que ficou satisfeito com os valores que apresentou durante os 22 quilómetros.

Porém, era difícil esconder que uma das grandes alegrias do dia foi mesmo poder competir. “Poder estar de volta à estrada em Portugal foi bom”, afirmou no final. Admitiu que depois de ter participado na Volta ao Algarve não estava a pensar estar pelo seu país, mas a pandemia trocou as voltas a todos. E realçou: “Pode não ser uma época totalmente perdida. Ainda vamos ter muito ciclismo.”

Rui Costa aproveitou para deixar um elogio ao organizador da prova, a Federação Portuguesa de Ciclismo. “Estiveram impecáveis. Parabéns pelo trabalho que fizeram”, salientou, considerando que houve risco 0.

A seu lado na conferência de imprensa, estava outra pessoa muito feliz. O jovem Daniel Dias, da Sicasal-CM Torres Vedras, foi o melhor sub-23 e isso valeu-lhe a oportunidade estar mais próximo (dentro das regras) de um ciclista que não hesitou em dizer que “é um ídolo”.

Ambos os ciclistas lideram a Taça de Portugal após estas vitórias.

Calendário intenso

A pensar nas provas World Tour, Rui Costa referiu que estará na Strade Bianche, a 1 de agosto. Seguir-se-á a Volta à Polónia e a possível vinda aos Nacionais. Viajará depois para França, onde fará duas corridas, antes das duas clássicas do Canadá, os Mundiais, clássicas da Ardenas e a Volta a Espanha para terminar.

Objetivos? Rui Costa afirmou que perante o calendário intenso, todas as corridas terão de ser um objetivo.

Corridas canceladas

O calendário português continua a ficar cada vez mais pequeno. Depois do adiamento da Volta a Portugal, foram canceladas as duas corridas do próximo fim de semana em Oliveira de Azeméis. Para o pelotão nacional sobra o Troféu Joaquim Agostinho entre 18 e 20 de julho e os Nacionais de Paredes, entre 21 e 23 de agosto.

GoRide

Subscreve a Newsletter GoRide!

Todos os artigos diretamente no teu email.