O fim de semana está a chegar e com ele mais algumas corridas de um calendário velocipédico curto, mas que lá se vai concretizando com mais ou menos percalços. O Grande Prémio Internacional de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho é o destaque no que à estrada diz respeito, mas haverá títulos nacionais em disputa nesta vertente, assim como em DHI.

O Troféu Joaquim Agostinho sofreu um adiamento das suas datas habituais devido à covid-19 (um elemento da organização testou positivo), mas irá agora realizar-se, numa versão muito reduzida de apenas dois dias. Com a Volta a Portugal a arrancar no domingo 27, será um aquecimento para a prova que as equipas nacionais tanto esperam, mas duas etapas é escasso para a falta de competição em 2020.

Porém, é para aproveitar e para saber quem sucede a Henrique Casimiro (Efapel, atualmente na Kelly-InOutBuild-UD Oliveirense) nesta prestigiada corrida. Quanto às etapas, a primeira, este sábado (145,6 quilómetros), tem partida e chegada na cidade de Torres Vedras. Arranca às 12:10 na Expotorres, prevendo-se a chegada para pouco depois das 15:30, na Variante Poente. A tirada termina à quinta passagem na meta, num circuito que inclui as subidas do Varatojo e da Serra da Vila.

A segunda etapa, no domingo (145,2 quilómetros), inicia-se no Turcifal, também às 12:10, e termina na exigente subida de 2100 metros para o Parque Eólico da Carvoeira, local para os trepadores se mostrarem.

O Troféu Joaquim Agostinho contará com quatro equipas estrangeiras, todas ProTeam (segundo escalão): Burgos-BH, Caja Rural e Euskaltel-Euskadi (todas de Espanha) e a americana Rally Cycling. As portuguesas Continentais ajudam a preencher a lista de inscrições: Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel, Aviludo-Louletano, Efapel, Feirense, Kelly-InOutBuild-UDO, LA Alumínios-LA Sport, Miranda-Mortágua, Rádio Popular-Boavista, W52-FC Porto. Mas de realçar ainda as de clube que bem estão a precisar de competição: Crédito Agrícola/Jorbi/Delta Cafés, JV Perfis/Gondomar Cultural e Sicasal/CM Torres Vedras.

Títulos nacionais

Depois do regresso à ação em São Brás de Alportel, os atletas de Downhill (DHI) vão agora discutir o título nacional na Penha, em Guimarães. Segundo a Federação Portuguesa de Ciclismo são esperados cerca de 100 atletas, com os treinos oficiais a decorrerem durante a manhã de domingo e a primeira manga de qualificação a arrancar às 14:00. Às 16:00 é tempo de se começar a decidir os campeões nacionais.

E regressando à estrada, Castelo de Vide também vai receber os muitos ciclistas a quem falta atribuir os títulos nacionais de contra-relógio. A pandemia obrigou a uma mudança de planos comparativamente com o que tem acontecido nos últimos anos e em Paredes não se realizaram todas as provas. Ou seja, este fim de semana as categorias femininas e em cadetes, juniores e masters masculinos vão conhecer os campeões nesta vertente.

O programa inicia-se durante a tarde de sábado, com as provas para as camadas jovens masculinas. Os cadetes vão percorrer 13,8 quilómetros, estando reservados 17,6 para os juniores.

Na manhã de domingo competem as restantes categorias. Começam os corredores que vão cumprir 13,8 quilómetros: masters 60, masters 50, masters femininas, cadetes e juniores femininas. Seguem-se os ciclistas que vão percorrer o percurso de 17,6 quilómetros: masters 40, master 30, elite amadores e elite feminina.