A Taça do Mundo XCO/XCC UCI de 2023 começa este fim de semana, acontece mais precisamente de 12 a 14 de maio, e para esta temporada há algumas alterações a ter em conta, que vemos neste artigo mais à frente. Mais importante é percebermos como podemos ver em direto as corridas e que atletas estão neste momento mais bem posicionados para darem forte luta a Nino Schurter, que aos 37 anos continua a conseguir vencer provas atrás de provas…

PUB
Riese & Müller Multitinker

Mas, antes disso, onde podemos este ano ver as transmissões em direto das corridas? Em Portugal, nos canais Eurosport. A primeira prova da Taça do Mundo 2023 acontece a partir desta 6ªfeira no famoso e desafiante circuito de XCO de Nove Mesto na Morave, na Chéquia. 

Ora, as alterações efetuadas à competição este ano incluem a inversão do sentido do andamento nesta etapa em particular, além de vários eventos coincidirem também com as provas de enduro e downhill, por exemplo.

Novidade é também o facto de os direitos de transmissão estarem agora no grupo Warner Bros Discovery, que ajustou o calendário, horários, etc. Aguardamos ainda informação de como podemos ver a prova através da Internet, visto que a Red Bull TV já não transmitirá qualquer das corridas. É provável que esteja tudo disponível nas plataformas pagas GCN+ e Discovery+.

Onde ver a Taça do Mundo XCO este ano?

A programação da Eurosport mostra que haverá transmissões em direto das principais provas. Na 6ª feira, as provas de XCC são transmitidas após o live da etapa da Volta à Itália. Homens e senhoras, com início pelas 16h30, sensivelmente.

PUB
Specialized Levo

No dia seguinte, sábado, a grelha de programação mostra que há Taça do Mundo na Eurosport 2, mas à partida é a repetição do que foi transmitido no dia anterior. A partir das 8h30.

Depois, domingo é dia de elites, com transmissão em direto na Eurosport 2 a partir das 10h, em princípio. Primeiro a prova de elites de XCO das senhoras e depois a prova de XCO elites dos homens.

A ‘caça’ a Nino Schurter…

Talvez o termos “caça” seja demasiado “forte”, mas referimo-nos, basicamente, a todos os grandes pretendentes à vitória na Taça do Mundo XCO deste ano. E são tantos e tão poderosos… Pidcock, Fluckiger, Dascalu, Valero, Sarrou. Ora, para lá chegarem estes atletas têm precisamente de destronar Nino Schurter. E como irá ele reagir? Irá continuar a dar luta a estes jovens corredores? Ou irá começar a quebrar após 13 anos de topo?

Ora, a recente prova do circuito OKK Revolution que teve lugar no passado fim de semana em Chur, terra natal do suíço, pode ser uma “amostra” do que pode ocorrer tanto neste primeira prova em Nove Mesto na Morave como nas restantes etapas da Taça do Mundo XCO.

PUB
Riese & Müller Multitinker

A três voltas do fim da prova, o versátil Thomas Pidcock atacou no seio do grupo da frente, grupo este onde ia Schurter. O britânico foi embora e ninguém reagiu no momento, mas após alguns minutos de “conferência” no grupo perseguidor, não foi Schurter a tentar “ir buscá-lo”; foi Matias Fluckiger, também suíço.

Quem acompanhou a transmissão de Chur ficou certamente na dúvida do que aconteceu, pois numa situação tida como normal Schurter teria respondido na hora a Pidcock; no limite teria aguardado e depois avançado com Fluckiger mais tarde. E isso não aconteceu, ainda que Schurter tenha depois superado facilmente a “concorrência” que visava o 3º lugar, ao seu estilo.

Das duas, uma: ou o suíço campeão em título decidiu poupar energias a pensar no início da época agendado para este próximo fim de semana, deixando os seus oponentes principais vencer; ou não teve efetivamente pernas para um Pidcock que promete “voar” nas pistas de XCO este ano.

Isto se o corredor da INEOS Grenadier, ainda para mais com bicicleta nova, participar em todas as etapa da Taça do Mundo, visto que também compete em estrada e em ciclocrosse pela sua equipa, como sabemos. Lembramos que Pidcock venceu a etapa de 2022 em Nove Mesto, batendo ao sprint Vlad Dascalu (Trek Factory Racing).

Se tivessemos de apostar, acreditamos que Nino Schurter preferiu resguardar-se e na Chéquia, domingo, irá mostrar que aos 38 anos (faz anos na véspera, sábado, curiosamente) ainda tem algo para dar. E vai tentar continuar a fazer história. Talvez até já domingo, pois tem de momento 33 vitórias em etapas da Taça do Mundo em igualdade com o retirado Absalon.

Atenção: contando com Schurter e Fluckiger, no top 10 final desta prova encontramos sete atletas suíços, o que quer dizer que esta “armada” helvética, distribuida por várias equipas, vai causar “estrago” esta temporada. E certamente também nos Jogos Olímpicos de 2024, aí sim em representação da sua seleção nacional.

PUB
Prototype

Mas são muitos os atletas que vão seguramente começar a época em grande forma. Entre o pelotão do XCO atual destacamos nomes como os já referidos Mathias Fluckiger (Thomus Maxon) e Tom Pidcock (INEOS Grenadier), mas também o inevitável David Valero (BH Colam Team) e ainda Vlad Dascalu (Trek Factory Racing), Henrique Avancini (Caloi Henrique Avancini Racing), Samuel Gaze (Alpecin Deceunick), Luca Braidot (Santa Cruz Rockshox Pro Team), Titouan Carod (Team BMC), Martín Vidaurre (Specialized Factory), Jordan Sarrou (Team BMC), Lars Forster (Thomus Maxon)… Fora as “surpresas”.

Mais info:

Lê também:

ÖKK Bike Revolution de Chur 2023: Thomas Pidcock vence batalha de titãs e Richards volta ao seu melhor nível

Imagens: Imagens: ÖKK Bike Revolution / Bartek Wolinski / Red Bull Content Pool 

Também vais gostar destes!