A etapa de Chur do circuito ÖKK Bike Revolution é uma prova de XCO que tem lugar todos os anos nessa localidade suíça, terra natal do campeão Nino Schurter. E este ano serviu mais uma vez como “antecâmara” para a Taça do Mundo de XCO, que começa já no próximo fim de semana. Em ação neste evento estão sempre grande nomes da elite do XCO internacional, mas quem venceu este ano? Thomas Pidcock…

PUB
Prototype

Exato, não foi Nino Schurter, apesar de ter ficado por perto. E o que não faltou foi emoção, bem como muitos e bons nomes do XCO: além de Pidcock, Nino Schurter, Mathias Fluckiger ou Jordan Sarrou eram apenas alguns dos que encabeçavam a lista…

Com um início de prova em que o campeão europeu Tom Pidcock andou no top-10, nada previa que este saísse da cidade suíça com a vitória. Andri Frischknecht (Scott Sram) liderou o primeiro grande grupo, que continha todos os grandes favoritos. Depois foi Vlad Dascalu (Trek Factory) a assumir o comando da corrida e a marcar o ritmo para o resto da primeira volta.

Pidcock resignava-se ao 8º lugar, Mathias Fluckiger (Thomus Maxon) ao 13º posto, sendo que o dez vezes campeão do mundo Nino Schurter parecia ser o único a ter pernas para aquele ritmo, cimentando desde cedo o quarto lugar.

Mas uma volta não chega para resumir uma prova de XCO com tantos candidatos à vitória. No início da segunda volta, Mathias Fluckiger ataca e o lote dos grandes favoritos começa a ficar composto: Pidcock, Schurter e Fluckiger permaneciam juntos e sem sinais de fraquezas.

PUB
Beeq

Pouco depois, o britânico da INEOS ataca e começa a provocar as grandes alterações na corrida. Apenas Nino Schurter (Scott Sram), Mathias Fluckiger, Albin Vital (Thomus Maxon) e Jordan Sarrou (BMC) o conseguiram acompanhar e, como grande surpresa no final da quarta volta, Pidcock não conseguiu responder a um ataque de Schurter.

Mas o britânico renasceu das “cinzas” a meio da 6ª volta e saltou diretamente para o primeiro posto com 6 segundos de vantagem sobre Sarrou. À 7ª volta, o ciclista da INEOS teve a companhia de Mathias Fluckiger e assim se veio a decidir a prova até ao final.

Nas últimas duas voltas, Pidcock e Fluckiger lutavam pela vitória e foi mesmo na última subida da última volta que Tom Pidcock atacou e deixou o suíço “pregado” ao chão, embalando para a meta. Thomas Pidcock acabaria por vencer o Bike Revolution XCO Chur 2023, seguido de Mathias Fluckiger e de Nino Schurter, a fechar o pódio.

Quanto à vertente feminina, Evie Richards (Trek Factory Racing) bateu a grande favorita Pauline Ferrand-Prevot (INEOS Grenadiers), sendo que a suíça Sina Frei (Specialized Factory Racing) ficou no 3º posto.

PUB
Riese & Müller Multitinker

Inicialmente, Laura Stigger foi a primeira a liderar um primeiro grupo de favoritos, mas na segunda volta lançou um ataque que lhe permitiu liderar a corrida de forma isolada.

A britânica Evie Richards (Trek Factory) foi a Chur mostrar que está de volta ao seu alto nível. A sempre favorita Pauline Ferrand-Prevot (INEOS Grenadiers) acabaria por acompanhar a britânica, juntamente com Alessandra Keller (Thomus), Anne Terpstra e as três ciclistas da Specialized Factory: Sina Frei, Haley Batten e Laura Stigger.

Ainda no decorrer da segunda volta, Evie Richards começou a lançar ataques atrás de ataques e a criar sucessivas “mossas” na frente da prova, até que acabou por liderar a corrida sozinha com 13 segundos de vantagem sobre o grupo perseguidor.

A partir daí, Evie Richards fruto do seu altíssimo ritmo criou uma vantagem de quase 2 minutos sobre os seus perseguidores. No pódio, o segundo lugar estava a ser disputado entre Haley Batten e Pauline Ferrand-Prevot, que acabou por ser decidido ao sprint a cair para a francesa.

Mais info em:

 

Lê também:

4ª etapa da Taça de Portugal de Downhill com vitórias de Gonçalo Bandeira e Valentina Roa [com vídeo]

PUB
Specialized Levo

Imagens: ÖKK Bike Revolution

Também vais gostar destes!