O português Rui Costa venceu a 15ª etapa da Volta a Espanha! A partir do grupo de fugitivos do dia, o ciclista luso da Intermarché-Circus-Wanty “jogou” de forma inteligente e muito “fria” para alcançar o maior objetivo nesta Vuelta. Na geral tudo se mantém inalterado.

PUB
Cube Stereo ONE

O terreno acidentado entre Pamplona e Lekunberri consistia num traçado com quase 160 kms de extensão e, apesar de se prever uma etapa mais calma, o dia começou de forma efusiva e com algumas tentativas da UAE Emirates para agitar a corrida…

Ainda assim quem demonstrou novamente intenções de encetar a fuga foi o vencedor de ontem, Remco Evenepoel (Soudal Quick-Step). A diferença era que hoje o pelotão estava com muito “apetite” para enfrentar a etapa menos montanhosa.

PUB
Specialized Levo

E por isso mesmo até na geral havia movimentações antes de se alcançar a primeira dificuldade do dia. Marc Soler, João Almeida e mais elementos da Emirates tentam distanciar-se, mas sempre com resposta pronta da Jumbo-Visma, e com ênfase em Jonas Vingegaard (Jumbo-Visma), que respondeu sempre a Soler.

A subida do Puerto de Lizarraga e os seus 19,3 kms faz reagrupar o pelotão, Soler ataca novamente mas Vingegaard responde de forma pronta ao espanhol da Emirates. A fuga estabelece-se na descida após esta dificuldade.

Sem grande surpresa, Remco está na movimentação que origina a figa do dia e é ele quem mais trabalha, inicialmente. Juntamente com o belga estavam os respetivos ciclistas: Buitrago (Bahrain Victorious), Elissonde (Lidl-Trek), Molard (Groupama-FDJ), Denz, Kämna (Bora-Hansgrohe), Janssens (Alpecin-Deceuninck), Kron (Lotto Dstny), Caicedo (EF Education-EasyPost), Bouchard, Vendrame (AG2R Citroën), Rui Costa (Intermarché-Circus-Wanty), Rubio (Movistar Team), Hamilton (DSM-firmenich) e Cristian Rodriguez (Arkéa-Samsic).

PUB
Giant Trance X Advanced E+ Elite

A diferença rapidamente atinge os três minutos para o pelotão, com muito trabalho da Alpecin-Deceuninck e da Jumbo-Visma.

Puerto de Zuarrarrate era a subida que os ciclistas teriam de fazer duas vezes antes de atacarem a meta final. Na primeira ascensão é Remco Evenepoel que estabelece o ritmo (e bastante alto), despedaçando por completo a fuga. Quem resiste? Buitrago, Rubio, Kämna, Rui Costa, Kron, Rodriguez, Hamilton e Janssens.

Janssens ganha vantagem após passar em primeiro no sprint intermédio e aqui é o ponto de viragem na frente da corrida. Buitrago e Rui Costa apercebem-se que aquele momento pode ser crucial e rapidamente chegam ao belga, que prontamente fica para trás assim que a pendente sobe ligeiramente… Evenepoel é quem persegue levando todos na sua roda, mas Kämna não satisfeito e decide fazer a ponte, bem sucedida, para a dupla da frente.

PUB
Selle SMP

Assim começa o jogo do “rato e do gato”, com Rui Costa a “jogar” de forma muito “fria”. E não demorou muito para Kämna alcançar a dupla, que tinha agora 30 segundos para os perseguidores.

Kämna ataca na descida e abre um espaço que parecia já difícil de fechar; contudo, o ciclista da Bora-Hangrohe calcula mal a trajetória de uma curva e sofre uma queda. Rui e Buitrago passam sem problemas, mas ficam no jogo da “hesitação” e, sem colaboração, Kämna volta a reentrar a cerca de 1 km da meta.

Aqui jogou-se de forma ainda mais “fria” e, para piorar, Remco já se via no horizonte a rebocar autenticamente o grupo perseguidor. Buitrago arranca primeiro, mas Rui Costa é quem consegue adiantar-se sobre o trio, vencendo a décima quinta etapa da Volta a Espanha 2023.

Classificação Etapa

Contas feitas ao final do dia, o trio da Jumbo-Visma mantém-se intacto à frente da classificação geral: Sepp Kuss é líder, Primoz Roglic é segundo, a 1m37s, e Jonas Vingegaard ocupa o terceiro posto, a 1m44s.

Mais info:

Lê também:

Vuelta 2023 – etapa 14: Remco Evenepoel renasce para vencer em Belagua [com vídeos]

Imagens: La Vuelta

Também vais gostar destes!