A etapa rainha da Volta a Espanha desvendou as forças e fraquezas de cada uma das equipas e respetivos elementos com pretensões à geral… Jonas Vingegaard venceu no alto do Col du Tourmalet, seguido por Kuss e Roglic. João Almeida perde tempo,  mas mantém o top-10, e Remco Evenepoel teve um dia para esquecer…

PUB
Giant TCR 2024

Eram apenas 135 kms que os atletas do pelotão da Vuelta 2023 tinham para percorrer entre Formigar e o Col du Tourmalet. Contudo, esta que foi a etapa rainha da Volta a Espanha estava repleta de categorias “especiais” e 4.000 metros de desnível positivo. E o cenário piorou devido ao coletivo da Jumbo-Visma, que decidiu endurecer a corrida desde cedo.

O início da etapa, que se fez a subir, ainda fez alguns ciclistas sonharem com a possibilidade da fuga vingar. Um começo acelerado e com ataques de Romain Bardet (DSM-Firmenich) e Elie Gesbert (Arkéa Samsic), que foram dos primeiros a destacarem-se na frente da corrida. Mas não foram os pouco mais de 4 kms do Portalet que fizeram a diferença e a descida fez-se rápida em direção ao Col d’Aubisque.

Aqui começam as catástrofes! Os ataques continuaram através de vários elementos do pelotão; por outro lado, a Jumbo-Visma media forças na frente do pelotão. Tudo parecia bem, mas João Almeida (UAE Emirates) foi dos primeiros sinais de que o dia iria ser complicado…

O português seguia na cauda do pelotão ainda muito no início do Col d’Aubisque. Contudo, a maior surpresa surge pouco depois: Remco Evenepoel (Soudal Quick-Step) descola do grupo principal e fica com toda a sua equipa num grupo anterior, ao qual se juntou Almeida.

PUB
Nova Trek Supercaliber

PUB
TrekFest 2024

No topo desta cruel subida João Almeida já vinha a recuperar terreno, enquanto Remco se continuava a afundar na classificação geral já com mais de 1 minuto perdido…

A descida fez-se rápida e atacada. A Bahrain Victorious tenta eliminar permanentemente ameaças ao top-10 e a Jumbo-Visma reage de forma pronta com o próprio Sepp Kuss. Chega-se a formar um grupo de quatro corredores na frente, mas que é alcançado no início da subida de Col de Spandelles.

Aqui, e ainda a 60 kms da meta, Mikel Landa (Bahrain Victorious) e Jonas Vingegaard (Jumbo-Visma) começam os ataques que em nada deram, mas nos quais os ciclistas testaram as pernas dos rivais. Wilco Kelderman e Robert Gesink (Jumbo-Visma) controlam o grupo de apenas 20 corredores…

Almeida perdia aqui dois minutos enquanto a diferença para Remco já ultrapassara os cinco. A derradeira dificuldade do dia, o Col du Tourmalet, com 18,9 kms de extensão e uma pendente média de 7,4%, foi o local escolhido para a batalha final. Vingegaard ataca a 8 kms da meta e segue a solo.

Enric Mas (Movistar), Juan Ayuso (UAE Team Emirates) e Cian Uijtdebroeks (Bora-Hansgrohe) tentam seguir, mas a diferença de ritmo foi grande. Sepp Kuss e Primoz Roglic (Jumbo-Visma) seguem na roda do grupo…

Sepp Kuss responde ainda de forma pronta a Enric Mas que tenta sair do grupo, e ainda contra-ataca quando o espanhol alivia o ritmo. Acabam por se reagrupar ao grupo que seguia com ritmo imposto por Ayuso.

Mas um Kuss não satisfeito arrancou de forma vigorosa e foi em busca de manter a classificação geral, cruzando a meta atrás do grande vencedor do dia, Jonas Vingegaard. Primoz Roglic é o terceiro a cruzar a meta.

João Almeida chega cerca de 15 minutos depois e segura o décimo lugar na geral, Remco Evenpoel tem um dia para esquecer e termina o Col du Tourmalet com 28 minutos de atraso.

Classificação da etapa

Na geral assistimos agora à supremacia da equipa da Jumbo-Visma, que ocupa os três lugares do pódio: Sepp Kuss em primeiro, Primoz Roglic em segundo, a 1m37s, e Jonas Vingegaard em terceiro, a 1m44s.

Classificação da geral

Na classificação da montanha é Jonas Vingegaard quem agora enverga a camisola, e na juventude é o espanhol Juan Ayuso o novo líder.

Mais info:

Lê também:

Vuelta 2023 – etapa 12: Sebastian Molano bate Grooves ao sprint [com vídeos]

Imagens: La Vuelta // Twitter Mihai Simion

 

Também vais gostar destes!