Tom Pidcock lamentou, a meio da semana, não ter peso nem potência para lutar com Mathieu van der Poel e Wout van Aert nas corridas de ciclocrosse. Porém, à primeira oportunidade, este sábado, ainda frente apenas ao neerlandês, venceu… mas por eliminação. Expliquemos.

PUB
Orbea Genius Dealers

O britânico beneficiou da queda de Van der Poel, onde o próprio acabou por se envolver, mas sem consequências tão limitativas como a do seu principal adversário, e venceu isolado a quarta jornada do Superprestige em Boom, na Bélgica,

 

Van der Poel caiu numa curva em piso de calçada portuguesa e ficou com mazelas no joelho e no ombro, que o condicionaram para o resto da corrida, que conseguiu terminar, mas na modesta 13ª posição. Pidcock, que seguia na roda do neerlandês, não conseguiu evitar a queda, mas esta apenas ligeira, e não impediu o campeão do mundo de conquistar a segunda vitória da temporada.

PUB
Giant TCR 2024

Cerca de dez segundos atrás do corredor da INEOS Grenadiers concluiu a prova a dupla Lars van der Haar (Baloise Trek Lions) e Eli Iserbyt (Pauwels Sauzen-Bingoal), por esta ordem. Michael Vanthourenhout (Pauwels Sauzen-Bingoal) e Laurens Sweeck (Crelan – Fristads) ficaram nas posições seguintes, respetivamente, fora do pódio ronda belga.

Com o segundo lugar em Boom, Van der Haar iguala Laurens Sweeck no topo da classicação da Superprestige, ambos com 55 pontos, mais três do que Eli Iserbyt. Vanthourenhout é quarto, com menos seis pontos do que os líderes.

PUB
Cube Stereo ONE

 

No final da corrida, Van der Poel explicou o incidente que conquistou a segunda cruz da temporada 2022/2023, falou após a corrida: “Não estava concentrado no percurso. Magoei o ombro e principalmente o joelho. Mas continuei, muitas vezes é o melhor depois de uma queda para não enrijecer…”

“Finalmente consegui terminar a corrida e correu bem”, acrescentou o ex-campeão mundial, que confirmou desde logo a sua presença na ronda da Taça do Mundo este domingo em Antuérpia, Bélgica, onde defrontará, pela primeira vez esta temporada, o arquirrival Wout van Aert.

Quanto a Tom Pidcock, lembrou que também caiu… mas não foi por isso que deixou de ganhar! “Não sei se foi mostrado na televisão, mas se foi, provavelmente sabem melhor do que eu o que aconteceu [na queda com Van der Poel]. Tentei evitá-lo, mas estava escorregadio e caí também. Estou bem e espero que ele esteja bem também”.

Sobre a corrida, o britânico que também estará este domingo em Antuépia, disse: “Fiz uma boa partida e queria manter o ritmo. Foi uma corrida difícil. As últimas voltas foram difíceis. Eli Iserbyt e Lars van der Haar estavam a aproximar-se e tive de continuar a fundo para manter a vantagem.”

Classificação completa:

Foto: Superprestige Twitter

PUB
Cube Stereo ONE

Também vais quer ler…

Aniek van Alphen dá espetáculo no Superprestige de Boom

Também vais gostar destes!