Foi dia de começar a sentir um pouco o terreno com alguma montanha no NEOM Titan Desert Arábia Saudita. Ainda assim, o que se sentiu novamente e bem foi o vento. Porém, a diferença para o primeiro dia é que com a etapa a começar e a terminar no Titan Camp, o vento acabou por estar de frente, mas também deu uma ajuda na fase final, quando ficou de costas. Julen Zubero venceu, mas David Valero não cedeu na liderança.

PUB
Nova Trek Supercaliber

Foram 104 km e 741 metros de acumulado, sendo difícil não pensar que esta quinta-feira se vai enfrentar a etapa rainha da segunda edição desta corrida. Uma subida mais complicada, poderia ter feito as primeiras diferenças. Porém, entre os três primeiros ficou basicamente tudo na mesma.

Tal como na primeira etapa, formou-se um grupo pequeno, de cerca de 12 atletas. Contudo, à passagem do segundo ponto de controlo, Julen Zubero e Haimar Zubeldia, ambos da equipa Krypteia, ganharam alguma vantagem. Valero (Burgos Templo Cafés UCC) tinha cerca de 1:24 minutos para recuperar.

E recuperou. O espanhol, número um do ranking mundial de XCO e a fazer a sua estreia numa prova da Titan World Series, voltou a estar em posição de discutir a etapa, depois de ter ganho a primeira.

Porém, um pouco à imagem de Zubeldia na terça-feira, Valero optou por não sprintar. O objetivo estava garantido: continuaria na liderança. Zubero ganhou, tentando reagir a uma primeira etapa menos conseguida (foi terceiro), mas apenas recuperou um segundo de uma desvantagem de mais de 11 minutos. Completou a distância em 4:02.23 horas.

PUB
Garmin

É terceiro, com Zubeldia a continuar na segunda posição com o mesmo tempo do líder, David Valero. A luta entre ambos promete para a terceira etapa.

Ninguém acompanha Ariadna Ródenas

Na corrida feminina, Ariadna Ródenas (Kenzasport) não está a ter rival. No segundo dia ampliou a sua vantagem de 22 para 49 minutos.

“Hoje andámos mais rápido. Havia trilhos arenosos e ‘ondulados’ e era difícil manter um ritmo constante. Mesmo assim, encontrei um bom grupo e seguimos compactos”, afirmou a corredora.

PUB
Nova Mondraker Dune

Ou seja, Ródenas aplicou a mesma tática da primeira etapa. Tentou integrar um grupo de forma a que ficasse mais protegida do vento. No entanto, na fase final da tirada, o ritmo era bastante elevado. Ródenas optou por não se desgastar em demasia e, aproveitando que o vento estava de costas, acabou por seguir sozinha.

Murial Bouhet manteve a segunda posição na geral, com Michaela Sekulova (SkodaWeLoveCycling) a fechar o pódio, mas já a mais de uma hora da líder. Terminaram a etapa exatamente nestes lugares.

Terceira etapa

Vamos então para a etapa rainha da NEOM Titan Desert Arábia Saudita. Serão 139 quilómetros com 1100 metros de acumulado, o que faz desta tirada a quarta mais longa dos 16 anos de história da Titan Desert.

Não sendo muito complicada a nível técnico, a distância e a parte em que os corredores terão de subir serão as principais dificuldades. Nas zonas mais “inclinadas”, os atletas encontrarão também um piso com mais pedra, mas o regresso ao Titan Camp já será por uma pista mais arenosa.

STAGE 3 I NEOM TITAN DESERT SAUDI ARABIA 2022

Classificações completas:

Também vais querer ler…

David Valero chegou à NEOM Titan Desert Arábia Saudita e descobriu logo o caminho da vitória

PUB
Garmin

Fotografias: NEOM Titan Desert Arábia Saudita

Também vais gostar destes!