A sexta etapa da Volta a Espanha 2023 deu lugar a uma história que ninguém (ou pelo menos, quase ninguém) conseguiria inicialmente prever: Sepp Kuss (Jumbo-Visma) leva a etapa e Lenny Martinez (Groupama-FDJ) assume a liderança da Vuelta. Mas os pontos fortes do dia não se ficam por aqui, porque Remco Evenepoel perdeu tempo para os seus adversários diretos… E a Jumbo-Visma deu um verdadeiro recital de ciclismo, na verdade.

PUB
Riese & Müller Multitinker

Os 183 kms entre La Vall d’Uixó e o Pico del Buitre (a dura subida final) tiveram os ingredientes necessários para aquilo que foi uma grande etapa. O dia contava ainda com duas contagens de montanha de terceira categoria e, com a maior parte das equipas a quererem estar na fuga do dia, a primeira fase do traçado foi bastante atacada.

Contudo, não foi fácil. Com tantos interesses à mistura foram necessários cerca de 70 kms para ser encetada aquela que veio a ser a fuga do dia, com mais de trinta ciclistas e entre os quais onze do top-25 da geral. Os nomes mais sonantes eram: Lenny Martínez (Groupama-FDJ), terceiro classificado à geral, mas também, Marc Soler (UAE Team Emirates), Sepp Kuss (Jumbo-Visma), Steff Cras (Total Energies), Wout Poels (Bahrain Victorious), Jefferson Cepeda (Caja Rural-Seguros RGA), David De La Cruz (Astana Qazaqstan), Juan Pedro López (Lidl-Trek), Mikel Landa (Bahrain Victorious) e Hugh Carthy (EF Education-EasyPost).

É certo que Remco Evenepoel (Soudal-QuickStep) queria deixar a liderança da Vuelta para mais tarde, mas, com a fuga a ultrapassar os seis minutos de vantagem, o cenário não era o ideal para o belga; por isso, a diferença baixou pelo (muito) trabalho da Soudal-QuickStep, mas também com a cooperação da Movistar e da Ineos-Grenadiers.

O relógio não parou e a entrada na subida do Pico del Buitre fez-se com quatro minutos de diferença entre os grupos, sendo que agora a própria fuga era maior do que o pelotão.

Na fuga, o primeiro a tentar a sorte foi o já vencedor de etapa no Giro de Itália este ano, Einer Rubio (Movistar), que a pouco mais de 4.000 metros do topo da subida arranca do grupo sozinho. Pouco depois vão ao seu encontro Lenny Martínez e Romain Bardet (DSM-Firmnich).

O que este trio não previa era um “super” Sepp Kuss, que arranca “à vontade” do grupo, agora perseguidor, e alcança em menos de nada os três da frente. Mas Kuss não ficou muito tempo, e pouco depois seguiu a solo até à vitória da sexta etapa da Volta a Espanha.

Lenny Martinez alcança o segundo lugar e também a liderança da classificação geral. Romain Bardet fecha o pódio do dia.

Cá mais atrás, no grupo dos favoritos, foi Primoz Roglic (Jumbo-Visma) quem fez as honras e se lançou para a frente. O grupo rapidamente se desorganizou e quem mais se sentiu foi mesmo Remco Evenepoel.

Jonas Vingegaard (Jumbo-Visma) faz a ponte para Roglic, Juan Ayuso (UAE Emirates) chega 7 segundos depois, João Almeida (UAE Emirates) depois de mais uma “almeidada” chega a 14 segundos juntamente com Cian Uijtdebroeks (Bora-Hansgrohe), Enric Mas (Movistar Team) 24 segundos e Remco Evenepoel chega 32 segundos após a dupla da Jumbo-Visma.

Feitas as contas: Lenny Martinez é agora o líder da Vuelta 2023, seguido por Sepp Kuss em segundo, a 8 segundos, e com Marc Soler (UAE Emirates), a 51 segundos.

As restantes classificações mantém-se inalteradas com exceção para a da juventude, a qual é agora de Lenny Martinez, e para a coletiva, liderada pela Bahrain-Victorious.

Drama On Huge Summit Finish! | Vuelta A España 2023 Highlights - Stage 6

Mais info:

Lê também:

Vuelta 2023 – etapa 5: Kaden Grooves novamente ao sprint [com vídeo]

Imagens: La Vuelta // Twitter Mihai Simion

 

Também vais gostar destes!