Remco Evenepoel (Soudal Quick-Step) alcança a sua terceira vitória de etapa na Volta a Espanha 2023, com o campeão belga a conquistar a dura subida de La Cruz Linare e a garantir a vitória na classificação da montanha. Na geral, a Jumbo-Visma “joga” a favor de Kuss…

PUB
Novidades Trek 2024

Os quase 180 kms de extensão entre Pela de Allande e La Cruz de Linares, ficam marcados pelas várias contagens de montanha de primeira, segunda e terceira categorias. Uma das últimas oportunidades para se mexer com a classificação geral.

Os ataques surgem imediatamente após a partida e Remco Evenepoel estava lá, claro. Com o belga seguiram Damiano Caruso (Bahrain Victorious), Lewis Askey (Groupama-FDJ), Nico Denz (Bora-Hansgrohe), Jarrad Drizners, Andreas Kron (Lotto Dstny), Andrea Piccolo (EF Education-EasyPost), Imanol Erviti (Movistar), Max Poole (DSM-Firmenich), Hugo Hofstetter (Arkéa Samsic), Paul Ourselin (Total Energies), Egan Bernal (Ineos Grenadiers), Julien Bernard (Lidl-Trek) e Lorenzo Germani (Groupama-FDJ).

Dadas as características do grupo numeroso e a falta de “ameaças” à classificação geral, rapidamente a diferença para o pelotão cresceu para os dez minutos. Evenepoel é dos ciclistas mais ativos no grupo, e conquistou todas as categorias até final.

A seleção deste grupo começa (novamente) a ser feita por Reemco na subida de Alto de Tenebredo e durante os seus 3.400 metros a 9.5% de pendente o grupo parte-se, e aqueles que aguentam o ritmo são Caruso, Poole, Kron, Ourselin e Bernal.

PUB
Specialized Levo

As diferenças estavam destinadas a ser feitas nas subidas, pelo que a descida que levava o grupo de fugitivos à La Cruz de Linares  (subida final que seria feita por duas vezes) não ditou grandes desenvolvimentos. Contudo, assim que as primeiras pendentes da Cruz de Linares apareceram, rapidamente o grupo se transforma num trio liderado, como seria de esperar, por Evenepoel…

Mas “só” vencer não pareceu ser suficiente para o campeão belga, pelo que arrancou a 4 kms do topo, e a 29 kms do fim da etapa, e só parou quando levantou os braços, de forma isolada, com uma celebração dedicada à sua mulher.

PUB
Specialized Levo

Para as equipas que disputam a classificação geral, as estratégias aplicavam-se à subida final. A cerca de 10 kms da meta a Bora-Hangrohe ainda tenta isolar Alexandr Vlasov, mas sem sucesso.

Já na última passagem por La Cruz de Linares, e já com apenas 5 kms restantes, é Mikel Landa (Bahrain Victorious)  quem ataca duas vezes, após um trabalho de imposição de ritmo pela sua equipa. Aqui começa uma sequência de ataque e resposta, na qual Juan Ayuso (UAE Emirates) também teve o seu papel.

Por outro lado, a Jumbo-Visma uniu-se (finalmente…) em prol do atual líder da Volta a Espanha e, é o próprio Jonas Vingegaard (Jumbo-Visma) que controla o ritmo do já restrito grupo. Jonas cede ainda alguns segundos no final da etapa…

PUB
Specialized Levo

Classificação Etapa

João Almeida (UAE Emirates) um pouco depois, rodeado por atletas que ocupam as posições finais do top-10.

Sepp Kuss mantém-se de vermelho por mais um dia e começa a ser cada vez mais o grande vencedor da Vuelta 2023. Jonas Vingegaard é segundo, agora a 17 segundos e, Primoz Roglic, permanece no terceiro posto, a 1m08s.

Classificação Geral

Mais info:

Lê também:

Vuelta 2023 – etapa 17: Primoz Roglic ‘assina’ o Angliru [com vídeos]

Imagens: La Vuelta // Soudal Quick-Step Twitter

Também vais gostar destes!