Não houve descanso na primeira etapa em linha do Grande Prémio Internacional de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho. A fuga deu mais trabalho do que o pelotão esperava e ataques na fase final animaram – e de que maneira – o dia, que acabou com vitória espanhola.

PUB
Cube Stereo ONE

Jonathan Lastra (Caja Rural-Seguros RGA) é um ciclista que gosta de vir a Portugal mostrar-se e aproveitou o triunfo para se aproximar da liderança. Essa continua a pertencer a Tiago Antunes (Efapel Cycling).

Lastra venceu a Clássica da Arrábida em 2019, prova ganha por outro ciclista da equipa este ano: Orluis Aular. O venezuelano venceu depois duas etapas e a geral da Volta ao Alentejo. Isto para dizer o quê?

Que a Caja Rural tem estado em grande sempre que tem vindo a Portugal esta época e apresentou-se esta sexta-feira novamente como protagonista na histórica corrida que é o Troféu Joaquim Agostinho. Dos oito triunfos em 2022, cinco foram em terras lusas.

Mas vamos à etapa. Os 150,8 quilómetros entre a torriense Adega Cooperativa de S. Mamede da Ventosa e Sobral de Monte Agraço tiveram como protagonistas Jacobus Jooste (JV Perfis/Windmob), Márcio Barbosa (ABTF-Feirense), Ángel Madrazo (Burgos-BH), Luís Fernandes (Rádio Popular-Paredes-Boavista), André Ramalho (LA Alumínios-Credibom-MarcosCar), Maurício Moreira (Glassdrive-Q8-Anicolor) e António Ferreira (Kelly-Simoldes-UDO). Fugiram à passagem dos 30 quilómetros e chegaram a ter quase três minutos de vantagem.

PUB
Specialized Levo

No terreno sempre ondulado do Oeste, a Efapel Cycling assumiu a perseguição, na defesa da camisola amarela conquistada no prólogo por Tiago Antunes. Porém, com os quilómetros a passar, as equipas espanholas Caja Rural-Seguros RGA e Euskaltel-Euskadi chegaram-se à frente para dar uma ajuda, quando faltavam cerca de 60 quilómetros para a meta.

Já dentro dos últimos 30 e com a diferença a diminuir, Pedro Silva (Glassdrive-Q8-Anicolor), Joel Nicolau (Caja Rural-Seguros RGA) e Asier Etxeberria (Euskaltel-Euskadi) “saltaram” do pelotão e fizeram a ponte para a frente da corrida. E por momentos pareceu que seriam os homens que arriscaram ir para a fuga que iam disputar a vitória na etapa.

A cinco quilómetros do final a diferença era curta e quatro corredores do pelotão aceleraram para apanhar quem estava na frente e foi esse quarteto a fechar os quatro primeiros lugares da tirada.

PUB
Nova Mondraker Dune

Lastra cortou a meta com o companheiro de equipa Fernando Barceló, deixando Frederico Figueiredo (Glassdrive/Q8/Anicolor) – vencedor das duas últimas edições da corrida – na terceira posição. O colega de Figueiredo, Afonso Eulálio, foi quarto, a quatro segundos, comprovando a boa forma que o levou a conquistar há uma semana o título nacional de sub-23.

O que disseram os protagonistas

Jonathan Lastra assumiu que a tática da equipa era resguardar-se para atacar na fase final da etapa, mas acabou por ter de trabalhar um pouco para garantir que seria possível lutar pela vitória. O espanhol também deixa claro que quer estar na disputa pela camisola amarela.

“Pretendíamos não ter de trabalhar para termos capacidade de fazer ataques na fase final. Mas, na verdade, a fuga ganhou mais tempo do que esperávamos e foi necessário algum esforço de perseguição. Mas correu bem. Infiltrámos o Joel Nicolau na fuga. E, a 5 quilómetros da meta, quando anulámos a fuga, saí eu com outro companheiro e pude ganhar. O circuito de amanhã é duro e no último dia darei tudo o que ainda tiver para conseguir um bom resultado”, afirmou.

Tiago Antunes manteve a amarela com cinco segundos sobre Lastra e sete sobre Daniel Freitas (Rádio Popular-Paredes-Boavista). Tudo fará para no domingo tirar a habitual foto ao lado da estátua de Joaquim Agostinho, como o vencedor do Troféu.

“Assumimos desde o início da corrida que queríamos ganhar. Estou em excelente forma e a equipa apostou em mim. Tenho de agradecer o trabalho de todos. Hoje foram enormes na defesa da camisola amarela e amanhã faremos tudo para continuarmos na frente. Esta é uma corrida especial para mim. Recordo-me de vir ver o Troféu desde miúdo e ter a oportunidade de disputar a prova e de ser a ‘personagem principal’ é, sem dúvida, muito gratificante”, admitiu.

Camisolas e próxima etapa

A presença na fuga valeu a André Ramalho a liderança na montanha, enquanto Márcio Barbosa ficou em primeiro nas metas volantes. Lastra veste a camisola verde dos pontos, enquanto a Euskaltel-Euskadi é a melhor na classificação por equipas.

PUB
Orbea Genius Dealers

Este sábado espera aos ciclistas mais uma etapa complicada. O pelotão parte da Atouguia da Baleia, às 12h10, terminando em Torres Vedras, às 15h35, na terceira passagem pela meta, após duas voltas completas ao circuito torriense que inclui das subidas da Serra da Vila e do Varatojo.

Mais info e fotos: www.facebook.com/trofeujoaquimagostinho


Imagens: Federação Portuguesa de Ciclismo

Também vais gostar destes!