Steff Cras foi um dos corredores vítimas de queda na 4.ª etapa da Volta ao País Basco, que lhe causou duas vértebras fraturadas, além de duas costelas, e um pneumotórax. “Estava a morrer de medo porque não consegui respirar durante trinta segundos”, revela o ciclista belga em declarações ao La Dernière Heure.

PUB
Prototype

Cras terá sido a vítima mais grave da terrível queda naquele dia, ainda que o estado de saúde do corredor de 28 anos da TotalEnergies tenha sido menos divulgado do que o de Jonas Vingegaard, Primoz Roglic ou Remco Evenepoel.

Depois de quatro noites no hospital de San Sebastian, Steff Cras regressou na última segunda-feira à Bélgica para realizar novos exames em Herentals e falou a primeira vez sobre o acidente. “Cheguei perto da morte”, disse.

“Estava a morrer de medo porque não consegui respirar durante trinta segundos. Só tinha um pulmão funcional. Quase morri. Percebi quando vi o bloco de cimento (vala para escoar água da chuva) que teria morrido se caísse 20 cm mais à frente. Sinceramente, tive muita sorte”, explicou.

Apesar das lesões, o belga pretende regressar à competição a tempo do Tour – após ter tido de abandonar a edição anterior durante a 8ª etapa… após uma queda provocada por um espectador.


Créditos da imagem: Steff Cras Instagram – https://www.instagram.com/p/Cw8QhSTsOcG/?img_index=2

PUB
Specialized Levo

Também vais gostar destes!