Remco Evenepoel deverá regressar ao Giro de Itália em 2023, dois anos após a estreia (2021), e não participará no Tour de França, como muitos adeptos do ciclismo tanto anseiam, para assistirem à batalha do jovem corredor belga, de 22 anos, com os principais dominadores da Grande Boucle nos últimos anos, Tadej Pogacar, Jonas Vingegaard, Primoz Roglic ou Egan Bernal.

PUB
TrekFest 2024

“Aguardamos pela divulgação dos percursos do Giro e Tour, os quilómetros do contrarrelógio vão contar para tomarmos uma decisão”, declarou Evenepoel durante a cerimónia de entrega do galardão ‘Bicicleta de Cristal’, que o distinguiu como o melhor ciclista no ano da Bélgica.

“O Tour é agora prioritário para mim, sonho com vencer essa corrida, um dia. Mas penso num ano de transição em 2023”, acrescentou o vencedor da Vuelta a Espanha 2022.

“Nas três grandes voltas deveremos ter em conta os nossos dois velocistas Fabio Jakobsen e Tim Merlier [este último chegará à Soudal-QuickStep no próximo ano proveniente da Alpecin-Deceuninck]. Para não corrermos o risco de dividirmos as nossas forças, deveríamos repartir-nos pelas grandes voltas: eu no Giro, Fabio Jakobsen no Tour e Tim Merlier na Vuelta. A coabitação com um velocista numa corrida de três semanas requer que a equipa disperse o esforço entre o apoio ao candidato à classificação geral e ao sprinter, e isso não me parece proveitoso”, explicou o campeão do Mundo de fundo.

“Dou-me muito bem com o Fabio Jakobsen em corridas ‘normais’. Gosto de fazer parte do seu comboio para o sprint, mas numa grande volta é diferente”, argumentou Evenepoel, que pretende participar no contrarrelógio dos mundiais em 2023, mas, em princípio, não faz planos de repetir a Volta a Espanha.

Foto principal: Vuelta.es e Remco Evenepoel Facebook

Também vais querer ler…

Os pormenores da Specialized do campeão do mundo Remco Evenepoel

PUB
Giant TCR 2024

Também vais gostar destes!