Orluis Aular avisou na Clássica da Arrábida ao que vinha e o venezuelano concretizou o objetivo de vencer novamente a corrida de um dia e, uma semana depois, subir ao pódio em Évora como campeão da Volta ao Alentejo. A 40ª edição da corrida foi assim assinalada por um momento histórico: pela primeira vez um ciclista conquistou a Alentejana duas vezes de forma consecutiva.

PUB
Orbea Genius Dealers

O espanhol Carlos Barbero fê-lo mas em 2014 e depois em 2017. Este domingo, o Aular garantiu que terá sempre um lugar na história de uma das corridas mais importantes em Portugal e com ilustres vencedores.

O campeão venezuelano vestiu a camisola amarela na movimentada etapa de sábado e, na derradeira tirada, a “sua” Caja Rural-Seguros RGA não teve um dia descansado, mas conseguiu levar o seu líder à discussão do sprint.

O venezuelano voltou a perder neste aspeto para o compatriota Leangel Linarez, que também fez assim o seu bis, ao conquistar uma segunda etapa na Volta ao Alentejo para a sua conta pessoal e para a Tavfer-Ovos Matinados-Mortágua.

Apesar da tentativa de Alex Molenaar (Electro Hiper Europa) em tentar surpreender e procurar as bonificações, o neerlandês percebeu que seria muito difícil apanhar desprevenida uma Caja Rural-Seguros RGA determinada a sair de Portugal com mais uma grande vitória.

A quinta e última etapa partiu de Monforte, com 154,9 quilómetros até Évora, onde a Praça do Giraldo consagrou mais uma vez o campeão. Só depois dos 80 quilómetros três ciclistas conseguiram ganhar uma vantagem um pouco mais substancial sobre o pelotão, depois de vários ataques em nada terem resultado.

PUB
TrekFest 2024

Diogo Barbosa (AP Hotels &Resorts-Tavira-SC Farense), Ángel Fuentes (Burgos-BH) e João Silva (Kelly-Simoldes-UDO) bem quiseram contrariar a tradição da última tirada terminar ao sprint, mas a verdade é que a diferença nunca foi muito além do minuto e meio para o pelotão.

A cerca de 20 quilómetros da meta, o pelotão controlado pela Caja Rural-Seguros-RGA e pela Electro Hiper Europa fez a junção e iniciou-se a luta pelo posicionamento para o sprint. Mais uma vez a Tavfer-Ovos Matinados-Mortágua mostrou que Gustavo Veloso ensinou bem a lição aos seus ciclistas. Linarez venceu e convenceu.

Aular foi segundo, sai da Alentejana sem vitórias de etapas, mas com a camisola mais desejada: a amarela. A 17 segundos ficou o colombiano Adrián Bustamante – vencedor da etapa de sábado -, num excelente resultado para a Kelly-Simoldes-UDO. Com o mesmo tempo, Molenaar fechou o pódio. As bonificações tiveram um papel decisivo na definição do vencedor.

Pedro Silva (Glassdrive-Q8-Anicolor) ganhou a classificação da montanha, com a juventude a pertencer ao britânico Max Walker (Trinity Racing). Aular ainda juntou a camisola verde dos pontos à vitória na geral, com a ProTeam espanhola Kern Pharma a ser a melhor equipa.

PUB
Nova Trek Supercaliber

Classificações:

Também vais querer ler…

Pode Van der Poel ganhar os cinco monumentos?

Fotografias: Matias Novo/Podium Events

Também vais gostar destes!