Enquanto assistíamos ao lançamento virtual desta nova Factor Ostro Vam 2024, a nossa pergunta era: como é que se pode melhorar aquilo que já será, por si só, muito bom? Pois bem, a resposta foi clara e certeira, dada por Rob Gitles, fundador da marca, e por Graham Shrive, diretor do departamento de engenharia da Factor.

PUB
TrekFest 2024

“A nova Factor Ostro Vam provoca-nos a mesma sensação de poder, agilidade e velocidade que a antecessora. As linhas desta nova bicicleta de competição estão ainda mais refinadas, e com um só objetivo em mente: a aerodinâmica do conjunto bicicleta mais ciclista”, garantem.

imagem-factor-ostro-vam

Na apresentação, Graham Shrive frisou, e bem, que, apesar da forte aposta na aerodinâmica, a Factor “não comprometeu o conforto para as longas tiradas, nem a agilidade precisa nos sprints mais agressivos”, explicou.

Aliás, foi lembrada a “prova” disso mesmo no Tour Down Under, no qual já assistimos à vitória de etapa e da classificação geral por parte de Stevie Williams…

imagem-factor-ostro-vam

Metodologia Front-To-Back

“A nossa abordagem foi aprender como é que seria possível as formas da bicicleta afetarem a resistência oferecida pelo ciclista ao ar”, começam por explicar desta forma o conceito de desenvolvimento utilizado.

PUB
Beeq

A parte frontal da bicicleta é a que encontra em primeiro lugar o “clean air” e como tal é esta área que consegue gerir da melhor forma todo o percurso que o ar percorre, e a forma como interage com os restantes componentes da bicicleta.

imagem-factor-ostro-vam

Foram efetuados mais de 110 testes com diferentes interações à resistência do ar, embora tenham ocorrido com algumas diferenças. A Factor explicou que alguns dos testes são “feitos com recurso a um manequim completo, outros com meio manequim, e, claro, ainda há os que são realizados somente com a bicicleta”.

imagem-factor-ostro-vam

PUB
Giant TCR 2024

Utilizando técnicas como o CFD (Computational Fluid Dynamics), é possível prever através da tecnologia, como pequenas alterações podem afetar a deslocação do ar, e com isto, ganha-se tempo, e testa-se mais!

Design que não compromete…

Com o foco nos ganhos aerodinâmicos seria fácil deteriorar outros tantos, também eles importantes… Mas a Factor Ostro Vam 2024 não “perdeu” nada disso: “não se ganhou aerodinâmica à custa de outros parâmetros como a rigidez ou o peso”, dizem em comunicado.

imagem-factor-ostro-vam

As zonas que mais beneficiaram deste ganho foram a zona frontal do quadro (testa do quadro e forqueta), a zona traseira do toptube, o espigão redesenhado e a zona inferior do eixo pedaleiro.

A forqueta cria agora “uma transição mais suave do ar”, com dimensões ligeiramente mais reduzidas que a Ostro Vam V1. Com isto, o fluxo de ar é agora mais controlado quando interage com as rodas e quando atinge o quadro.

A zona do dropout e a zona flat-mount dos travões foram meticulosamente moldadas para desviar o ar, o que aumentou significativamente os ganhos aerodinâmicos. (Factor)

PUB
Prototype

A “testa do quadro” é agora mais fina (nota-se bastante em relação à versão anterior), o que “permitiu reduzir o peso e melhorar o controlo do fluxo de ar”. Pelo mesmo caminho seguiram as inovações do espigão: mais fino e com menos “massa”, tendo em conta a regra de 3:1 da UCI.

imagem-factor-ostro-vam

O toptube foi moldado para dar continuidade aos ganhos que a nova zona frontal conseguiu providenciar. O objetivo era manter o ar “agarrado” e estável ao longo desta linha, disse Graham.

A zona do eixo pedaleiro não foi considerada “prioritária”, porque é importante manter a rigidez nesta zona. Ainda assim, a Factor conseguiu suavizar a área de contacto com o ar e até reduzir ligeiramente a sua largura (“sem comprometer a rigidez”…).

Rodas Black Inc

Para os melhores resultados, o melhor material. Correto? Sim, e as rodas Black Inc 48/58 parecem ser o “match” perfeito para esta nova Factor Ostro Vam 2024.

Concebidas inteiramente em carbono, otimizadas para pneus de 28 mm de largura e com um peso de apenas 1.270 gramas o par… Mas há mais: estas rodas foram “pensadas para o mundo real, onde o ventos cruzados existem”, explicam-nos através da nota de imprensa.

imagem-factor-ostro-vam

Os cubos utilizados são conhecidos pelo High-Flange, ou seja, existe um aumentar do ângulo entre os raios, o que confere “mais rigidez e feedback das condições da estrada para os ciclistas”.

Rodas rápidas, fortes e leves, que transmitem confiança mesmo com ventos cruzados. (Factor)

Porta-bidons?

Não é caso para preocupação. A Factor Ostro Vam de 2024 continua a ter a capacidade de transportar bidons de água… Contudo, além dos “normais”, podemos optar por usar os da marca, concebidos especificamente para esta bicicleta.

Qual é a diferença? A resposta já a demos mais acima: aerodinâmica! Os porta-bidons Black Inc Ostro Vam promovem uma redução do arrasto aerodinâmico. A marca admite que não é uma grande diferença, mas que é mensurável…

imagem-factor-ostro-vam

E, um pormenor muito interessante, é que estes porta-bidons ficam ainda mais aerodinâmicos quando são usados sem… bidons! A Factor pensou neste pequeno pormenor que pode ditar a diferença entre vencer e perder. A maioria dos grandes ciclistas descarta os bidons nos kms finais da etapa e, desta forma, além do menor peso, ganham alguns watts “de borla”.

E números?

O termo de comparação é a sua antecessora Ostro Vam V1, e no mundo real acreditamos que não sejam relevantes. Mas no World Tour a conversa é outra!

imagem-factor-ostro-vam

São 7 watts poupados pela nova Ostro Vam 2024, bicicleta que ficou 267.8 gramas mais leves (com as rodas do premium package). A Factor diz mesmo que se consegue muito facilmente quebrar a barreira dos 6,8 kg na Ostro Vam 2024…

E, já agora, lembras-te da vitória de Michael Woods na etapa 9 da Volta a França de 2023? Com a nova Factor Ostro Vam, o ciclista teria chegado com 2m21 de vantagem, diz a marca.

Mais info:


Créditos imagens: Factor

Também vais gostar destes!