Eis a reação por que se esperava, após a vitória de Julian Alaphilippe na 12ª etapa da Volta a Itália: a do seu diretor geral Patrick Lefevere. Crítico feroz do francês nos últimos tempos, ‘patrão’ da equipa Soudal Quick-Step comentou o ‘feito’ do seu corredor no Giro.

PUB
Specialized Levo

“O meu relacionamento com Julian não é o que muitos querem que se acredite. Esse rapazinho anda comigo desde os 17 anos. Eu acreditei nele estes anos todos”, declarou Lefevere ao HLN. “As coisas têm estado menos boas nos últimos anos, sim. Mas certamente não é minha culpa. Também não estou dizendo que é dele. É o que é. Já repeti o suficiente por que não estava satisfeito. Não foi pessoal. O seu desempenho não foi bom o suficiente, considerando o que ele pode fazer e pelo que é pago. Talvez eu não tenha dito isso da maneira correta, mas é o meu estilo”, declarou Lefevere.

Alaphilippe é dado como quase certo noutra equipa em 2025, mas, de acordo com as últimas declarações de Patrick Lefevere, o francês poderá continuar na estrutura belga, onde está desde 2013. “Acho realmente que ele quer ficar, mas não falarei tão cedo porque se disser alguma coisa sou mal compreendido. Ele faz parte da família. Bom, às vezes discutimos e a coisa explode, mas é a família” – tinha afirmado o dirigente a alguns e confirma-o agora…

“Propus-lhe reduzir o contrato no ano passado. A minha proposta era pagar-lhe menos em 2024, mas também incluir 2025. Isso prova que ainda tinha confiança”. explica. “Mas olhe, Julian está a provar que estou errado. Gosto disso. E dói-me admitir. Não que esteja 100% errado. Porque estamos falando de dinheiro, e isso também precisa ser colocado em perspetiva. Não é o meu estilo prolongar o contrato de um corredor por menos dinheiro. Mas, repito, não posso dizer que ele tenha corrido bem nos últimos dois anos”, frisou Lefevere.


Créditos da imagem: Giro d’Italia Twitter – https://x.com/giroditalia/status/1791397367255592977/photo/1

Também vais gostar destes!