Julian Alaphilippe teve um início de temporada dececionante, com resultados aquém das expectativas. Mas o francês da Soudal Quick-Step tem uma justificação: disputou as últimas corridas com uma fratura na cabeça do peróneo!

PUB
Beeq

“Não queria revelar a lesão, porque não queria que as pessoas pensassem que estava a dar desculpas”, declara Alaphilippe. A lesão ocorreu na Strade Bianche, quando o francês caiu, com seu companheiro de equipa Paul Magnier, a cerca de 100 quilómetros da meta em Siena.

“Nessa queda sofri uma grande pancada na nuca, diz o vencedor do semiclássica italiana em 2019 e fiquei com dores no joelho esquerdo. Depois tive uma Tirreno-Adriático muito má, com muito frio também. Mas podia pedalar mesmo com dor. Mas fi-lo em modo fantasma, sofrendo, mas sem querer revelar as dores. Depois, fiz uma Milão-Sanremo em que consegui chegar com os melhores no final. Mas a dor ainda estava lá…”, explicou Alaphilippe.

Depois da clássica da primavera, o corredor foi, enfim, submetido a exames, que revelaram a fratura no peróneo. «O erro foi meu. Já são corridas muito difíceis quando se está 100%., nas com esta lesão que me estava a diminuir, foi muito complicado. A cabeça queria, mas o joelho… não”, reconheceu.

Mas porque é que Alaphilippe optou por manter silêncio sobre a sua lesão? “Porque estava super motivado e foi difícil, depois de todo o meu trabalho este inverno, não competir”. E acrescenta: “Só quero pensar em seguir em frente. Sei que um dia estarei novamente na decisão de uma corrida. Penso isso sinceramente”, concluiu.


Créditos da imagem: Julian Alaphilippe Officiel Twitter – https://twitter.com/soudalquickstep/status/1774005825935122678/photo/1

PUB
Giant TCR 2024

Também vais gostar destes!