Segundo dia de Campeonatos Nacionais no Mogadouro e segundo título para Daniela Campos e para a Glassdrive/Q8/Anicolor, desta feita por intermédio de Afonso Eulálio.

PUB
Distribuidores Orbea

A prova feminina teve um percurso de 87,6 quilómetros e o pelotão esteve sempre compacto, com as emoções a ficarem guardadas para o sprint final. Ao fim de 2:43.49 horas, Daniela Campos (Bizkaia-Durango) foi a mais forte, não dando grandes hipóteses à concorrência, conseguindo inclusivamente colocar um segundo de diferença na classificação. Sofia Gomes (Massi Tactic) e Daniela Pereira (Kiwi Atlantico Louriña) fecharam o pódio.

“É muito bom conseguir estes dois títulos. Estou muito feliz e, após tantos percalços que tive desde o início da época até agora e todo o trabalho que tenho vindo a desenvolver, sinto que mereço muito este título, pois é uma recompensa de todo o meu esforço. Era um percurso exigente, as atletas também estavam fortes e tive de ter paciência e calma para jogar frio. Na parte final sabia que tinha de estar bem posicionada para conseguir sprintar para a vitória”, afirmou Daniela Campos.

Apesar de ter apenas 20 anos, esta é uma corredora que já há algumas temporadas tem demonstrado ser dos melhores talentos do ciclismo feminino nacional. A época não estava a ser o que certamente gostaria, contudo, chegou a Portugal para disputar os Nacionais com um triunfo no Trofeu de Ciclisme Femeni Clàssica de l’arròs e junta agora os dois títulos de campeã, sendo que o de contrarrelógio já havia conquistado também em 2021.

Marta Carvalho (Extremosul/Hotel Alísios/Cenmais) sagrou-se campeã de juniores, numa corrida com 65,3 quilómetros, enquanto entre as cadetes (43 quilómetros) a mais forte foi Beatriz Guerra (Velo Performance/JS Campinense). Recorde-se que não há escalão de sub-23 no ciclismo feminino.

PUB
Kenda Tires- Bicimax

Também se disputaram os títulos de masters. As vencedoras foram: master 30, Nádia Mendes (Cantanhede Cycling/Vesam); master 40, Irina Coelho (5Quinas/Município de Albufeira/CDASJ); master 50, Filomena Gomes (Vertentability/CRG).

Prémio para Afonso Eulálio

Já a corrida masculina de sub-23 foi bem mais movimentada. As movimentações começaram logo nos primeiros quilómetros dos 132,2 que esperavam ao jovem pelotão. Diogo Narciso (L.A.Alumínios/Credibom/MarcosCar) foi o primeiro a mexer e depois da primeira passagem pela meta, o pelotão foi aos poucos desfazendo-se, formando-se vários pequenos grupos.

Com 65 quilómetros cumpridos,  Afonso Silva (Kelly-Simoldes-UDO) passou a liderar e bem sonhou em conquistar o título nacional desta categoria. E este lado atacante e de quem não tem medo de arriscar já é conhecido deste ciclista, que já o havia demonstrado na Volta a Portugal do Futuro.

A cerca de 20 quilómetros para o final, Afonso Eulálio (Glassdrive-Q8-Anicolor) estava a 45 segundos do líder da corrida. Não baixou os braços e conseguiu alcançar Afonso Silva, conseguindo superiorizar-se no sprint que decidiu o título nacional. João Medeiros (L.A.Alumínios-Credibom-MarcosCar) cortou a meta dez segundos depois e fechou o pódio.

“A corrida foi muito dura, como eu gosto. Também um pouco caótica, com muitos ataques. Os adversários estavam muito fortes e eu comecei por não me sentir muito bem. Com o passar dos quilómetros acabei por me sentir melhor e ataquei. Quando me vi na frente foi até ao fim. Não há palavras para descrever o que sinto. Sempre desejei andar um ano com a bandeira de Portugal. Agora vou aproveitar o momento e desfrutar desta felicidade”, salientou o novo campeão nacional de sub-23, que sucede a Pedro Andrade, agora ciclista da Efapel e que ontem (sexta-feira) foi o melhor no contrarrelógio neste escalão.

Para Afonso Eulálio acaba por ser uma vitória que premeia um ciclista que tem tido um papel importante da Glassdrive/Q8/Anicolor, apesar dos seus 20 anos. Tem, por vezes, estado um pouco na sombra de Pedro Silva, talvez o jovem em maior destaque na equipa. Porém, Eulálio tem sido um trabalhador incansável sempre que é chamado na ajuda aos companheiros, numa equipa que não pára de ganhar. Ainda esta sexta-feira Rafael Reis alcançou a vitória que lhe faltava no palmarés ao sagrar-se campeão nacional de contrarrelógio e este sábado Eulálio voltou a colocar esta formação no lugar mais alto do pódio.

No Mogadouro falta conhecer o campeão na categoria de elite, com a corrida deste domingo marcada para as 11h30. Mas antes haverá outros títulos nacionais em disputa. Às 9 horas arrancam as provas de fundo de paraciclismo.

Mais info e classificação: www.fpciclismo.pt


Imagens: Federação Portuguesa de Ciclismo

PUB
Cube Stereo Hybrid HPC 160

Estás a gostar do GoRide.pt?

Então subscreve a Newsletter GoRide.pt clicando/tocando na imagem abaixo!

NEWSLETTER GORIDE.PT Newsletter GoRide.pt

Elisabete Silva
Quando uma vasta experiência em jornalismo se junta a uma paixão imensa por bicicletas, o resultado é como música para os ouvidos do mais curioso ciclista. E é isso que esta mestre da modalidade acrescenta ao projeto GoRide.

Também vais gostar destes!

Mais em Em destaque