Valeria Valgonen (Massi-Tactic) venceu a última etapa da Volta a Portugal feminina e assegura também a vitória na classificação geral com um sprint impiedoso sobre as suas adversárias. Ana Caramelo (Matos Mobility/Optiria) foi a melhor portuguesa, ao terminar na sexta posição.

PUB
Riese & Müller Multitinker

A última etapa com 84,4 kms de extensão e chegada em Gondomar foi feita debaixo de chuva. O pelotão feminino sofreu a primeira seleção na subida em São João de Ver, deixando somente 30 corredoras na frente da corrida…

A campeã nacional, Cristiana Valente, a melhor atleta lusa na classificação geral, sofre um aparatoso acidente nesta descida, o que levou ao abandono da prova.

Miryam Nuñez (Massi-Tactic), Ariadna Gutiérrez (Farto-BTC) e Marina Garau (Cantabria Deporte-Rio Miera) ainda tentam encetar uma fuga bem sucedida, contudo, mais atrás, a equipa Massi-Tactic tinha outras ideias para o desfecho de etapa, pelo que perseguiu o trio de forma rigorosa.

Perseguição essa que leva a que três corredoras se juntem na frente: Valeria Valgonen, Susana Pérez (Cantabria Deporte-Rio Miera) e Martina Moreno (Farto-BTC). A chegada com uma ligeira pendente fez com que a etapa fosse discutida ao sprint e no qual a ciclista da Massi-Tactic não deu hipótese à concorrência.

PUB
Giant TCR 2024

“Estou muito feliz, mas sinto-me morta. Tinha muito más sensações antes da etapa, mas as minhas colegas trabalharam tanto para mim durante a corrida que queria dar-lhes esta vitória. Estou muito feliz por tê-lo conseguido e espero que este triunfo seja importante para a minha carreira”, disse Valeria no final da Volta a Portugal feminina.

A classificação geral ficou completa com Myriam Nuñez (Massi-Tatic) em segundo lugar, a 20 segundos, e com Marina Garau (UCI Cantabria Deporte Rio-Miera Women’s Cycling) a fechar o pódio, a 40 segundos.

Valeria Valgonen vence também a camisola dos pontos, na montanha foi Miryam Nuñez a vencedora e a juventude ficou para a portuguesa Marta Carvalho (Extremosul/Hotel Alísios/CA Terras do Arade).

PUB
Prototype

Beatriz Roxo (Cantabria Deporte-Rio Miera) fecha a prova no décimo lugar, a 1m28s e, Ana Caramelo (Matos Mobility/Optiria) foi a melhor portuguesa em prova ao alcançar o sexto lugar.

A júnior e vencedora da juventude Marta Carvalho comentou: “Esta camisola é muito, muito importante para mim, porque mostra que estou no bom caminho e o trabalho está a dar resultados. Senti-me bem ao longo destes dias, melhor até do que estava à espera antes da Volta”.

Mais info:

Lê também:

Volta a Portugal Feminina: Miryam Nuñez é a primeira camisola amarela

Imagens: Federação Portuguesa de Ciclismo

Também vais gostar destes!