A UCI, órgão supremo do ciclismo internacional, anunciou, em comunicado, que “o componente semelhante a um capuz” no capacete de contrarrelógio da Specialized foi considerado não essencial. Como tal, será banido dos eventos da UCI a partir de 2 de abril de 2024.

PUB
Beeq

O capacete Specialized TT5 é utilizado pelas equipas WorldTeam, Soudal Quick-Step e BORA-hansgrohe. 

No mesmo âmbito, a União Ciclista Internacional declarou que avaliaria o impacto na segurança dos corredores dos novos capacetes superdimensionados e que poderá haver mudanças nos regulamentos em breve.

A decisão da UCI surge na sequência da estreia do inovador capacete de contrarrelógio do fabricante Giro, o Aerohead II, que a Visma-Lease a Bike estreou na prova individual da Tirreno-Adriático, na segunda-feira, e repetiu no dia seguinte, no mesmo exercício, por equipas, na Paris-Nice.

PUB
Specialized Levo

Desde então, o componente tem sido alvo de acesa controvérsia, principalmente pelas suas proporções e formas sobredimensionadas.

PUB
Nova Mondraker Dune

O capacete da Aerohead II da Giro é apresentado na sequência de outros, igualmente para contrarrelógio, com um design igualmente pouco consensual, como o visado Specialized TT5, o Redeemer 2Vi ou o POC Tempor, que provocaram espanto nas últimas temporadas. No entanto, o que a Visma apresentou elevou o nível desse impacto visual.


Créditos da imagem: Mihai Simion Twitter  https://twitter.com/faustocoppi60/status/1765028690482675739/photo/1

Também vais gostar destes!