Tom Pidcock tem motivos para estar satisfeito com o seu desempenho e resultado na Volta à Suíça, com vista ao Tour.

PUB
Orbea Genius Dealers

Quinto no contrarrelógio de montanha que encerrou a corrida helvética, o britânico da Ineos Grenadiers garantiu a 6ª posição da geral, ultrapassando no último dia o espanhol Enric Mas (Movistar) e alcançou o seu melhor resultado de sempre numa prova por etapas do WorldTour.

Um indicador do ambicionado progresso do jovem ciclista, de 24 anos, em provas de uma semana ou mais. “É o meu melhor resultado num contrarrelógio desde que me tornei profissional, por isso penso que posso estar muito satisfeito”, disse Pidcock.

“Os meus watts estão muito altos, o que é bastante positivo”, continua. “De qualquer modo, não comecei nada bem a semana da Volta à Suíça, pois tinha acabado de fazer um estágio em altitude, mas senti-me super ‘ligeiro’… Mas fui melhorando a cada dia”, contou Pidcock.

“Creio que esta semana mostra efetivamente o que o treino produz. Estive nas montanhas durante cinco dias seguidos e melhorei a cada dia, o que é muito positivo.”

O suficiente para se considerar que o atleta multidisciplinar está a converter-se, por fim, num corredor de classificação geral na estrada? Na opinião do próprio, ainda não… “Fiquei em sexto na classificação final, porque ultrapassei Enric Mas, mas não quero ser um corredor que termina apenas sempre entre os 10 primeiros da geral”, esclareceu Pidcock, ao seu estilo.


Crédito da imagem: Ineos Grenadiers Twitter – https://x.com/INEOSGrenadiers/status/1802360019310060010/photo/2

PUB
Garmin

Também vais gostar destes!