Tiesj Benoot sente-se responsável pela grave queda sofrida pelo seu companheiro de equipa Wout van Aert na Através da Flandres, na quarta-feira, de que resultaram fraturas na clavícula e em várias costelas.

PUB
Prototype

“O nosso plano era acelerar no Kanarieberg. Os irmãos van Dijke fizeram um trabalho fantástico posicionando-nos antes do início da subida. Tim estava pronto para assumir a frente da corrida quando fomos ultrapassados ​​pela esquerda”, conta Benoot.

 

“Wout [van Aert] disse-me para acelerar, e foi o fiz”, continua o belga. “Mas creio que ele tocou na minha roda traseira quando me pus em crenques”, recorda Benoot, que quando fez estes comentários ainda não conhecia a natureza das lesões do seu líder: “Sinto-me muito mal, sinceramente. Espero que ele esteja bem, não sei de nada”. Afinal, o seu líder vai perder, pelo menos, a Volta a Flandres, a Paris-Roubaix e a Amstel Gold Race.

PUB
TrekFest 2024

“Depois fiquei um pouco confuso, mas Matteo [Jorgenson] atacou bem e isolou-se para a vitória. Acabou por ser uma boa decisão. Pessoalmente, também estou satisfeito com o meu desempenho após a queda de sexta-feira (na E3 Saxo Classic). Já estive muito melhor do que na Gent-Wevelgem. Mas estou muito dececionado com o que aconteceu ao Wout”, concluiu.


Créditos da imagem: Visma-Lease a Bike Twitter – https://twitter.com/vismaleaseabike/status/1771185353858158978/photo/1

Também vais gostar destes!