Inconfundível na sua categoria e muito provavelmente uma das melhores endurances do ano: falamos da nova Specialized Roubaix SL8 2024, bicicleta que tivemos oportunidade de experimentar ao longo de algumas semanas, cortesia da marca em Portugal. Andámos com a versão Expert, que custa 5.700 euros.

PUB
Orbea Genius Dealers

E isto após o nosso primeiro contacto com esta “máquina”, que aconteceu na apresentação dinâmica promovida pela Specialized Portugal no Granfondo Serra d’Ossa. Foi aí que começámos a recolher as muito boas primeiras impressões sobre esta reformulação da já mítica Roubaix…

Se conheces esta gama e estás atento ao GoRide, sabes que a Specialized Roubaix tem no seu palmarés sete vitórias no Paris-Roubaix. Mas neste modelo SL8 de 2024 o objetivo da marca era simples: produzir “a bicicleta de estrada endurance mais rápida, mais leve e mais suave alguma vez produzida”, dizem os próprios responsáveis da Specialized…

Quisemos colocar isto à prova, naturalmente, e perceber se a bicicleta é mesmo isto que afirmam… Mas por onde começar? As novidades são muitas, os detalhes imensos e, claro, não podemos ignorar o sistema Future Shock 3.0 na direção, que é o que a torna uma bicicleta mais confortável, de certa forma. Mas primeiro vamos lá resumir as sensações transmitidas por esta endurance de nova geração…

PUB
BH GravelX

Antes de mais, a bicicleta exibe linhas muito atrativas e até muito aerodinâmicas, cobertas por uma cor “branco-pérola-camaleão”, neste caso. A geometria do quadro foi apurada para o segmento endurance, nota-se bem, mas a génese está na SL8 Tarmac que bem conhecemos. As parecenças são muitas. Podes ler aqui o teste a esse modelo, bem como ver o vídeo.

Posição ‘direita’…?

A posição de condução é muito confortável. Vamos sentados bastante direitos, passamos a expressão, e o guiador “sobe” em direção às nossas mãos.

Todo o cockpit é um conjunto que, visualmente, pode hoje em dia ser confundido com um look mais gravel, talvez… Avanço Future Stem Pro, fitas Supacaz Super Sticky Kush e guiador Specialized Hover Expert, em alumínio. 

PUB
Cube Stereo ONE

Os controlos e manetes estão bastante acessíveis e em momento algum sentimos desconforto na parte superior do corpo, o que é um ponto positivo para quem já não tem a elasticidade no seu melhor…

Parece-nos que tudo nesta Roubaix SL8 Expert é concebido com o conforto em mente.

A Specialized diz mesmo que este modelo absorve 53% mais vibrações que a concorrência mais próxima, com quadro feito à base de fibras de carbono Fact 10r. É referido que apenas a versão S-Works da mesma bicicleta é capaz de melhor…

Além disso, mesmo na versão Expert (5.700 euros) a bicicleta é leve. Pesa uns aproximados 8,6 kg (é o que regista na nossa balança…) e talvez por isso esta não seja uma bicicleta que inspire ritmos muito vivos ou reativos, principalmente quando as pendentes começam a aumentar.

Isto não invalida o facto deste novo modelo ser mais rápido que o antecessor e de estarem presentes muitos ganhos aerodinâmicos. Tal significa que em terreno plano, quando os ritmos começam a passar a barreira dos 40 km/hora, sentimos de forma muito evidente que a bicicleta não “deseja” ir mais depressa.

PUB
Selle SMP

Algo normal, no fundo, pois o principal foco desta “máquina” é proporcionar conforto para longas tiradas, embora a veia competitiva e o “pedigree” da Specialized estejam bem representados em todos os pormenores e na excelente constituição da bicicleta.

Rodas de gravel?

Esta versão Expert equipa com as rodas Roval Terra C em carbono, envoltas pelos pneus S-Works Mondo 2BR de 32 mm, que, apesar do conforto que proporcionam, em piso molhado ou com condições (mais) húmidas denotam alguma perda de aderência e tração. No empedrado molhado, a subir, o melhor é manter o peso no selim e pedalar com cadência consistente…

Já as rodas cumprem a 100% o que lhes é exigido: versatilidade! Não são as mais leves da Roval, marca da “casa”, ainda assim conferem alguma aerodinâmica extra e são bastante resistentes, pois são as mesmas utilizadas em alguns modelos de gravel da Specialized, até.

Por seu turno, a transmissão Sram Rival eTap AXS de 12 velocidades encaixa neste conjunto que nem uma luva! Com uma cassete 10-36d e um duplo-prato 46-33d, os andamentos estão muito bem distribuídos.

Pedalámos em pendentes acima dos 15% e, apesar da nossa forma física não estar no ponto mais alto, com esta desmultiplicação conseguimos imprimir um ritmo confortável e “fazível” quando chega a hora de trepar ou rolar mais depressa.

Isto porque a Roubaix nada desilude nos terrenos planos. Conseguimos seguir os ritmos a que normalmente pedalamos com andamentos mais orientados a bicicletas all-around de estrada. Claro que acima dos 50 km/hora já entramos em cadências exageradas, mas, como mencionámos mais atrás, essa não é a “praia” desta Roubaix SL8…

Ainda sobre o quadro em carbono, nota para o facto de a marca ter espelhado aqui a vocação para aventuras de bikepacking desta bicicleta, com vários pontos de fixação extra na estrutura. Podemos encontrá-los no tubo superior e por baixo do tubo diagonal, por exemplo.

Future Shock 3.2

Atentemos agora nalguns elementos diferenciadores nesta Roubaix, a começar pelos sistemas de “absorção” Future Shock e After Shock. Faz aqui a nova Roubaix SL8 jus ao legado da gama? A resposta é simples: sim e sim!

É que o sistema Future Shock faz sem dúvida a diferença nesta endurance da marca norte-americana. Nesta versão que testámos encontrámos a versão 3.2 do Future Shock, que é aquela que não proporciona qualquer ajuste através da “famosa” rodinha no topo da coluna de direção. A sua irmã S-Works SL8 tem esse sistema de ajuste, esta versão não…

Ainda assim, os 20 mm de curso proporcionados por esta “mini-suspensão” fazem-se sentir; ou melhor, fazem com que sintamos menos as imperfeições do terreno, da estrada. Para as mãos é um alívio e os ombros também agradecem. Algo que já tínhamos experimentado noutros modelos e também noutras gerações da Roubaix. Poucas diferença face ao que já se conhecia.

Conseguimos sentir a ação que este sistema de forma isolada consegue provocar no conforto e na “absorção” das vibrações. Em terrenos mais acidentados, e mesmo em vários tipos de empedrado, sentimos que o amortecimento está lá, e isto sem nos sentirmos “desligados” do lado mais dinâmico da Roubaix.

Quase podemos dizer que, quando o terreno deixa de ser o ideal e passamos a contar com “paralelos”, raízes saídas do asfaltoa e dois ou três buracos, a Roubaix SL8 Expert ganha outra vida… E nestes cenários não hesitamos em afirmar que esta bicicleta é certamente superior a qualquer bicicleta de estrada convencional no catálogo do fabricante.

Apesar da boa absorção de vibrações e impactos, o sistema Future Shock não se intromete quando não precisamos das suas competências ativas. Por exemplo, quando subimos de pé, com o peso do tronco em cima do guiador, com o balançar da bicicleta não sentimos qualquer constrangimento por parte do amortecimento. Nesta situação é como se de uma rígida se tratasse.

After Shock?

Na parte de trás também temos direito a outra “suspensão”: o sistema After Shock, tecnologia integrada no espigão em carbono S-Works Pave. Aqui conseguimos obter 1,8 mm de flexão, diz a marca. Isto pode nem parecer muito, e admitimos que é difícil avaliar algo assim em cima da bicicleta, mas trata-se de um pormenor que não compromete a rigidez do conjunto.

Mas, apesar destas duas tecnologias funcionarem muito bem de forma individual, toda a construção da bicicleta reforça o seu objetivo. Ou seja, os pneus de 32 mm (que podem ir até aos 40 mm), as rodas Roval Carbon Terra C e toda a geometria desenvolvida para o endurance fazem com que o conforto e a rigídez coexistam de forma harmoniosa.

Em jeito de conclusão, refira-se que a nova Specialized Roubaix SL8 não facilita a “vida” às outras endurances do mercado neste momento. Isto porque não é demasiado cara nesta versão Expert, apresenta uma performance alta neste segmento e ainda assim não compromete o feeling de uma boa “estradista”.

Ficha técnica da Specialized Roubaix SL8 2024 Expert:

Quadro: Specialized FACT 10R, Rider First Engineered (RFE) // Forqueta: Future Shock 3.2 w, Smooth Boot, FACT Carbon 12 x 100 mm // Selim: Body Geometry Power Expert // Avanço: Future Stem Pro // Espigão: S-Works Pave Seat post // Guiador: Specialized Hover Expert, Alloy, 125 mm Drop, 75 mm reach w/Di2 Hole // Fita: Supacaz Super Sticky Kush // Pneus: S-Works Mondo 2BR, 700 x 32c // Rodas: Roval Terra C, 25 mm, carbono // Transmissão: Sram Rival 12x eTAP AXS (cassete: Sram XG 1250, 10-36t; desviadores: Sram Rival eTAP AXS; pedaleiro Sram Rival AXS com potenciómetro e pratos 46/33t) // Travões: Rival eTAP AXS // Peso: 8.62kg // Preço: 5.700 euros

Mais info:

Todas as fotos (clica/toca para aumentar):

Pormenores (clica/toca para aumentar):

Neste teste:

  • Texto: Rafael Prazeres
  • Fotos: Nuno Margaça e Jorge D. Lopes
  • Rider em ação: Rafael Prazeres

Caso detetes algum erro ou tenhas informação adicional que enriqueça este conteúdo, por favor entra em contacto connosco através deste formulário.

Também vais gostar destes!