Depois de iniciar sua temporada no Boucles Drôme-Ardèche, no último fim de semana, Primoz Roglic é um dos cabeças de cartaz do Paris-Nice que arranca este domingo, uma corrida que o esloveno esteve muito perto de vencer no ano passado, mas acabou por ser vítima de uma queda no derradeiro dia, quando envergava a camisa amarela.

PUB
KTM

O principal líder da Jumbo-Visma deu uma entrevista à RTBF, em que recordou – uma vez mais – os altos e baixos por que passou em 2021, a rivalidade com Tadej Pogacar e as ambições para este ano. O corredor de 32 anos regressa, pelo terceiro ano consecutivo, a concentrar-se no Tour de França, cujo triunfo falha há duas edições para o compatriota Tadej Pogacar (a última, após abandono devido a queda numa fase prematura da prova).

Foto Stuart Franklin/Getty Images

Talvez por esse motivo Roglic prefira aliviar a pressão para a corrida francesa, ao afirmar, com fina ironia, que, para si, a Grande Boucle tem-se revelado uma boa preparação para Vuelta a Espanha, onde é certo que tentará conquistar a quarta vitória consecutiva, o que seria inédito na história da competição.

“Sabe, para mim, o Tour de França é uma boa preparação para a Vuelta”, gracejou Roglic quando foi questionado sobre a renovação da aposta na prova gaulesa. Em Espanha, o esloveno será líder único da Jumbo-Visma e como um dos principais adversários deverá ter o prodígio belga Remco Evenepoel (Quick-Step Alpha Vinyl). “Sim, gostaria muito de enfrentá-lo. É um desses jovens extremamente talentosos, superfortes. Com certeza, não será fácil”, reconheceu.

Brincadeira à parte, o Tour de França será novamente o grande objetivo de Primoz Roglic, mas para vencê-lo terá que se ‘livrar’ de Tadej Pogacar, que parece intocável após os triunfos concludentes nas duas últimas edições, e de outras vitórias importantes. Como vencê-lo?

Foto David Ramos/Getty Images

PUB
Specialized Levo

“A solução para essa questão, creio que não somos os únicos na Jumbo-Visma a tentar encontrá-la! Todos os adversários do Tadej estão a perguntar-se o mesmo! Mas não estou preocupado com a resposta, não vou gastar o meu tempo a pensar nisso. Continuarei muito focado na melhor maneira de preparar-me para o Tour, tal como os meus companheiros de equipa”, disse Roglic.

No Tour, o esloveno dividirá a liderança com Jonas Vingegaard, que surpreendeu em 2021 com o 2.º lugar da geral em Paris. “Creio que depois do que Jonas mostrou no ano passado, definitivamente é um dos corredores com quem se pode contar. E os responsáveis da nossa equipa não escondem isso quando apresentaram a equipa para este ano. Assino por baixo a sua candidatura ao Tour! Uma coisa é certa, nós dois teremos de estar ao melhor nível desde o início da corrida e tentar trabalhar juntos, ajudando-nos mutuamente, da melhor forma possível”, explicou Roglic.

Foto principal: Jumbo-Visma

Também vais gostar destes!