O diretor geral da Movistar, Eusebio Unzué, crê que Nairo Quintana ainda poderá ombrear com os melhores corredores do pelotão mundial nas grandes corridas, após a equipa espanhola ter anunciado a contratação do colombiano no último fim de semana.

PUB
KTM

“Embora tenhamos consciência de que, do ponto de vista atlético, a sua melhor idade já passou, não descarto que o vejamos lutar com os melhores nas grandes corridas”, disse Unzué, que participou virtualmente na conferência de imprensa de apresentação de Quintana como reforço da Movistar, que decorreu em Bogotá no início da semana.

O corredor de 33 anos regressa à equipa em que alcançou os melhores resultados da sua carreira, entre 2012 e 2019: as vitórias na Volta a Itália em 2014 e a Espanha em 2016, e três pódios na Volta a França (segundo em 2013 e 2015 e terceiro classificado em 2016). Agora, Quintana regressa à Movistar para um ano de contrato.

Eusebio Unzué justificou a aquisição. “Posso garantir que, com a experiência que ele [Quintana] tem em 12 anos de profissionalismo, será um líder todos os dias, com toda a certeza. Será muito positivo para todos os seus companheiros, inclusive para um dos mais beneficiados, Enric Mas”.

“Todos nós resgatamos, Colômbia, Movistar e o ciclismo, um grande tipo, que tem sido um exemplo de perseverança, principalmente neste último ano em que poderia muito bem ter deixado o ciclismo”, continuou o dirigente da equipa da Telefónica. “Creio que Quintana regressa exatamente para aonde queria estar e espero que ninguém se arrependa disso”, acrescentou.

PUB
TrekFest 2024

Após deixar a Movistar em 2019, Quintana assinou pela Arkea-Samsic. Entre 2020 e 2022, o seu melhor resultado foi um quarto lugar na Vuelta a Catalunha em 2022 e um quinto no Paris-Nice também nesse ano. Em 2022, um dia antes de Quintana iniciar a Vuelta, a equipa francesa foi notificada pela UCI de que o seu corredor tinha sido testado positivo para tramadol no Tour desse ano.

Em consequência dessa infração ao regulamento das competições, Quintana foi desclassificado da Volta a França, onde terminara em sexto da geral, mas não foi sancionado, uma vez que aquela substância, um analgésico potente, ainda não constava na lista de produtos dopantes da UCI, onde entretanto passou a estar.


Imagens Movistar e Arkea-Samsic Twitter

Também vais gostar destes!