Subir o Monte Etna para depois descer numa Superfoxy! Eis o desafio a que Richard Gasperotti propôs-se. Porquê? Parece que foi o que muito lhe perguntaram, mas o “rider” tem a resposta.

PUB
Riese & Müller Multitinker

Gasperotti é um embaixador da Mondraker, mas quis mais do que apenas mostrar a qualidade da Superfoxy numa descida como a do Etna. Estamos a falar de um vulcão ativo, na Sicília, Itália, a 3303 metros de altitude.

Mas então, porquê subir (com a bicicleta às costas) até lá bem acima do vulcão para depois descer numa bicicleta?

“Porquê? Porque podemos. E se o podemos fazer, então devemos fazê-lo. É tão simples quanto isso”, respondeu Gasperotti. Mas há mais: “As pessoas na localidade perguntavam-nos constantemente porquê subir o vulcão com uma bicicleta. Diziam que era perigoso e que iríamos demorar 24 horas. Mas afinal, a razão porque subimos foi precisamente para responder a todos os que nos perguntaram porquê.”

O “rider” checo contou ainda a experiência de subir o Etna: “Estar ali na orla da cratera e ver com os meus próprios olhos foi como estar noutro planeta… Era quase impossível acreditar o que estávamos a ver.”

Richard Gasperotti espera ainda que a sua aventura possa influenciar as pessoas. “Se com este vídeo conseguirmos que nem que seja apenas uma pessoa a levantar-se do sofá, então valeu muito a pena”, salientou.

As imagens são impressionantes, como se pode ver no vídeo.

PUB
TrekFest 2024

Também vais querer ler…

Bicicletas Mondraker 2023: as 5 maiores novidades!

Vídeo: Ladis Zeman

Imagem: print screen

PUB
Nova Trek Supercaliber

Também vais gostar destes!