O norte-americano Matteo Jorgenson, da Visma-Lease a Bike, venceu a 82.ª edição da Paris-Nice, ao classificar-se na segunda posição na 8.ª e derradeira etapa, que terminou este domingo naquela cidade costeira do Mediterrâneo.

PUB
Giant TCR 2024

O ganhador da icónica tirada final que atravessou as montanhas em redor de Nice foi Remco Evenepoel, que partiu para o ataque a 45 quilómetros do final à procura da camisola amarela, mas teve de contentar-se com a das bolinhas, de melhores trepador da prova, e a verde, dos pontos (o mais regular).

Jorgenson, que trocou a Movistar pela Visma esta temporada, foi o único que conseguiu resistir aos múltiplos ataques do belga da Soudal Quick-Step, e com a segunda posição na etapa, em igualdade de tempo com Evenepoel, foi premiado com o triunfo na Corrida ao Sol, tornando-se o terceiro norte-americano a conquistá-lo.

Quinto na etapa, a 1.39 minutos do duo da frente, Brandon McNulty (UAE Emirates) perdeu a camisola amarela neste último dia da competição, mas ainda se manteve no pódio, no terceiro degrau, tornando esta a primeira edição da Paris-Nice com dois norte-americanos no top-3. O dinamarquês Mattias Skjelmose (Lidl-Trek) e o russo Aleksandr Vlasov (BORA-hansgrohe) completam o top-5 da classificação geral.

Primoz Roglic é o segundo derrotado no último dia da corrida francesa, depois de Brandon McNulty. O esloveno da BORA-hansgrohe não resistiu ao andamento da corrida e perdeu 4.04 minutos para os primeiros, caiu para o nono lugar na geral.

João Almeida não ficou muito melhor, a 3.07 minutos, na 13.ª posição, e conclui a sua estreia em competição esta temporada fora do top-10, no 11.º lugar da classificação geral, a 6.08 minutos do camisola amarela, e o segundo mais bem posicionado da UAE Emirates, depois de McNulty.

PUB
Schwalbe Pro One Tubeless

Remco indomável!

Remco Evenepoel atacou no sopé da difícil subida de Peille (6,5 km a 6,9%). Seguido por todos os seus rivais, o belga do Soudal Quick-Step repete o golpe algumas centenas de metros mais adiante, mas, mais uma vez, não consegue fazer a diferença. Mas estavam abertas as hostilidades, e partir daí a corrida ficou lançada e não parou mais…

O companheiro de equipa de Brandon McNulty na UAE Emirates, Felix Grossschartner assume as rédeas do grupo da frente para estabelecer um ritmo certo favorável ao camisola amarela, que não é um trepador. Evenepoel aguarda durante cerca de 3 quilómetros e depois volta à ofensiva!

Este terceiro ataque causa mais estragos do que os dois anteriores, já que apenas Matteo Jorgenson consegue seguir o campeão mundial de contrarrelógio. Segundo na geral, 4 segundos atrás do seu compatriota e amigo Brandon McNulty, Jorgenson tinha todo o interesse em aproveitar a boleia de Evenepoel, se o conseguisse… E conseguiu!

O americano e o belga ainda viram recolar Aleksandr Vlasov (BORA-hansgrohe), que corria sem se preocupar com Primoz Roglic, que sofria um golpe de frio ficou fora da luta.

No entanto, o íngreme Col des Quatre Chemins é fatal para Aleksandr Vlasov, que não consegue acompanhar o ritmo de Remco Evenepoel. O único foi mesmo Matteo Jorgenson. E levou a amarela!

Classificações


Créditos da imagem: Paris-Nice Twitter – https://twitter.com/ParisNice/status/1766835946232689020/photo/1

Também vais gostar destes!