O norte-americano Sean Quinn (Hagens Berman Axeon) venceu a Clássica da Arrábida, na distância de 181,2 quilómetros entre Setúbal e Palmela. O norte-americano, de 21 anos, atacou nos últimos dez quilómetros e estreou-se com triunfo em prova internacional.

PUB
Cube Stereo ONE

Antes da montanha, destacaram-se Hélder Gonçalves (Kelly-Simoldes-UDO), Marcelo Salvador (LA Alumínios-LA Sport), João Matias (Louletano-Loulé Concelho), Francisco Morais (Tavfer-Measindot-Mortágua) e Tiago Leal (Sicasal/Miticar/Torres Vedras), mas a perseguição da Caja Rural-Seguros RGA acabou com a iniciativa logo após a primeira das seis contagens do dia.

Atacaram depois Jon Irisarri (Caja Rural-Seguros RGA), Mathijs Paasschens (Bingoal Pauwels Sauces WB), Emerson Oronte (Rally Cycling), Jarrad Drizners (Hagens Berman Axeon) e Hugo Nunes (Rádio Popular-Boavista). O quinteto passou adiantado na primeira passagem pela meta e começou com avanço o circuito de Palmela, com passagem pelo “sterrato” da Estrada da Cobra.

Na dureza deste troço em subida de terra batida e gravilha impôs-se Sean Quinn, que cortou a meta com 4h20m49s, à média de 41,684 km/h. O basco Jonathan Lastra (Caja Rural-Seguros RGA, vencedor da edição transata, ficou no lugar imediato, a 11 segundos. O belga Rémy Mertz (Bingoal Pauwels Sauces WB), a 13 segundos, fechou o pódio.

Tiago Antunes (Tavfer-Measindot-Mortágua) foi o melhor português, no quarto posto, a 13 segundos do primeiro classificado.

PUB
Nova Trek Supercaliber

“Dei tudo o que tinha na última subida e ninguém me conseguiu acompanhar. É uma sensação ótima porque não ganho uma corrida há dois anos. É a minha primeira vitória internacional, por isso é muito bom. Penso que é um impulso de confiança para Volta ao Algarve que, apesar de ser mais difícil, me deixa muito entusiasmado”, afirmou Sean Quinn.

Também vais gostar destes!