Se bem te lembras, e apesar de já terem passado algumas semanas, em fevereiro acompanhámos em exclusivo a equipa Credibom / L.A. Alumínios / Marcos Car na Volta ao Algarve 2024. Fizemos uma cobertura nas Stories do nosso Instagram de que nos orgulhamos muito e demos conta de tudo o que se passou na competição nos nossos artigos diários.

PUB
Orbea Genius Dealers

E podemos dizer que aqueles cinco dias foram uma experiências inesquecível! Estar com esta jovem equipa portuguesa, liderada por Hernâni Brôco, numa prova como a Volta ao Algarve foi sem dúvida uma das melhores oportunidades em território nacional de experiênciar ao mais alto nível o espírito do ciclismo.

Credibom/LA Alumínios/Marcos Car.

Além disso, o que não faltou por lá foram algumas das melhores equipas estrangeiras do mundo, recheadas de ciclistas de topo do WorldTour. Remco Evenepoel, Gerainth Thomas, Tom Pidcock, Wout Van Aert e até o vencedor da última Vuelta, Sepp Kuss. Tudo isto no nosso Portugal!

Abaixo está um pequeno resumo de cada parte desta “aventura” com a Credibom / L.A. Alumínios / Marcos Car, junto de algumas fotografias que fomos captando nos “bastidores” desta equipa, que tão bem nos acolheu. Acima, está algo ainda melhor: o vídeo que fizemos desta Volta ao Algarve e desta experiência, em jeito de mini documentário no YouTube. Esperamos que gostem!

Hernâni Brôco num momento de conversa com a equipa no autocarro.

Tudo fascina neste “mundo”… As pessoas, os jornalistas e o ambiente de uma corrida de alto nível! Quisemos ver de perto tudo o que acontece. Com os ciclistas e os seus momentos, mas também junto da equipa técnica e do restante staff.

PUB
Orbea Genius Dealers

Andámos nos carros com os diretores desportivos, acompanhámos os mecânicos e o pessoal do autocarro, seguimos a “corrida” pelo posicionamento na meta… E, claro, não podemos deixar de agradecer a toda a estrutura da Credibom / L.A. Alumínios / Marcos Car esta incrível oportunidade, da qual gostámos muito! E ainda assim fica muito por dizer, mostrar, escrever… Desfrutem do ambiente da Volta ao Algarve!

Dia 0 – A viagem

Chegámos às instalações da Credibom / L.A. Alumínios / Marcos Car no dia anterior ao início da Volta ao Algarve. A saída estava marcada para as 9h30, mas desde cedo que se ultimavam os preparativos para a semana competitiva.

Conferir, arrumar e receber os atletas. Após tudo isto arrancámos rumo a sul, com uma pequena paragem em Messines. Esta paragem “retirou” os ciclistas do conforto do autocarro para um pequeno treino pré-prova até ao hotel.

PUB
Prototype

Aqui foram feitos alguns ajustes, principalmente nas “cabras”, as bicicletas de contrarrelógio. A equipa técnica seguiu no autocarro e nós seguimos com Hernâni Brôco atrás dos ciclistas.

Chegámos ao hotel já com tudo pronto para receber os ciclistas, que foram recuperar (massagem) e preparar-se para o jantar. Junto do autocarro os mecânicos recebem feedback e metem mãos à obra para que tudo esteja perfeito no dia um da corrida.

As bicicletas Swift da equipa.

Etapa 1

Nervos à flor da pele para o arranque da Volta ao Algarve! Este primeiro dia seguimos de perto o primeiro carro da equipa com Hernâni Bôco, o diretor desportivo da equipa, e na segunda meta da prova no segundo carro, com José Nicolau.

Pelo que foi referido no briefing no autocarro da Credibom / L.A. Alumínios / Marcos Car, o objetivo era entrar na fuga do dia. Objetivo cumprido com Diogo Narciso, que marcou presença nesta ação ofensiva tal e qual como a equipa pediu.

Nos carros trocavam-se bicicletas do carro 1 para o 2. Mas porquê? Porque o segundo carro é aquele que se dirige para a fuga e, como tal, precisávamos de ter a bicicleta do Diogo Narciso (que estava no carro 1)… Troca feita e seguimos a bom ritmo por entre a caravana e o pelotão. Para quem não está habituado, a própria caravana faz uma bela corrida!

PUB
KTM

Um dos carros e as bicicletas da Lidl-Trek.

Etapa 2

O dia em que fomos aguadeiros à beira da estrada! Aqui apanhámos “boleia” da Efapel, o que demonstra as sinergias que existem no pelotão nacional. Um ambiente de positivismo e de comunidade no ciclismo.

Rafael Prazeres, do GoRide.

Ficámos apeados numa subida à espera do pelotão. Neste dia não seguimos a caravana de prova, apenas procurámos os pontos estratégicos para entregar água aos ciclistas.

Na geleira tínhamos bidons de água e sais minerais para os atletas, e a marmita para o nosso almoço volante. Mesmo a subir, os ciclistas pedalam muito rápido, pelo que não é fácil entregar o que quer que seja… Ainda assim, missão cumprida!

Etapa 3

Na terceira etapa acompanhámos o staff do autocarro, com Serafim e Hugo, que além disto são também os dois massagistas da equipa. Dada a partida, existe um arranque eufórico da logística de todas as formações que se dirigem para a chegada.

Encontrar o melhor lugar (previamente estudado no dia anterior), parar o autocarro e fazer a preparação para a chegada dos atletas. Isto implica também fazer algumas compras, e por isso até ao supermercado fomos.

Após isso preparam-se recuperadores e marmitas, montam-se os rolos na rua e aguarda-se pelo pelotão. Na chegada, fomos com o Hugo até à meta, entregar bebidas de recuperação e casacos e, claro, receber os ciclistas mais desorientados pelo ritmo fulminante!

Etapa 4

O dia do contrarrelógio! Este sim um dos melhores dias de ciclismo da Volta ao Algarve! Nesta etapa as equipas ficam mais sossegadas durante todo o dia, o que permite ver de perto todas as “estrelas” e as suas bicicletas!

Com a Credibom / L.A. Alumínios / Marcos Car, fizemos o reconhecimento do percurso e fomos ultrapassados inclusive por Remco Evenepoel… Não estava para brincadeiras, o belga!

Nesta dia o aquecimento é importante, e começa a ser feito uma hora, ou 45 minutos, antes da partida de cada atleta. Mas, antes disso, as bicicletas têm de passar a inspeção técnica e garantir que as medidas estão dentro do conforme da UCI.

Dentro do carro, este é o dia mais emocionante! Ao lado de Hernâni Brôco, seguimos a todo o gás atrás de Emanuel, o ciclista com mais capacidade para a classificação geral da equipa!

A motivação e as informações recolhidas no reconhecimento são essenciais neste tipo de prova, e, acreditem, não é fácil!

Etapa 5

O último dia, com a mítica chegada no Alto do Malhão! Seguimos novamente dentro dos carros de apoio da Credibom / L.A. Alumínios / Marcos Car, neste dia que foi percorrido a ritmos muito elevados.

Três ciclistas da equipa abandonaram, e acompanhámos Gonçalo Leaça, o último “sobrevivente”, num pequeno grupeto (mas calma que ainda vinham muitos mais atrás!). Aqui o papel era animar o ciclista, dar água e alimentação, e garantir que chegava “são e salvo” à meta. E assim terminou a prova para a equipa!

 

Mais info:


Imagens: Rafael Prazeres / GoRide

Também vais gostar destes!