Miguel Angel Lopez foi suspenso por quatro anos pela União Ciclista Internacional (UCI), por uso e posse de substância proibida (menotropina) durante a Volta a Itália de 2022, anunciou esta quarta-feira o organismo que tutela o ciclismo a nível mundial.

PUB
Schwalbe Pro One Tubeless

O corredor colombiano, de 30 anos, já se encontrava suspenso provisoriamente desde julho de 2023, por «potencial violação das regras antidoping por uso e posse de substância proibida nas semanas anteriores à Volta a Itália 2022», e vê ser-lhe imposta sanção a título definitivo.

Esta decisão da UCI contraria a que foi decretada pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) no início de maio, a favor de Lopez, que ilibava o corredor de dopagem e acrescentava que o mesmo deveria ser ressarcido pela equipa Astana dos salários que deixou de auferir por ter sido dispensado pela equipa cazaque no final de 2022.

Superman Lopez, que representa a equipa colombiana Team Medellin, tem agora um mês para recorrer desta decisão.

O procedimento disciplinar a Miguel Angel Lopez foi instaurado na sequência de uma investigação realizada pela Agência Internacional de controlo (ITA) com base em provas obtidas junto da Guardia Civil espanhola e da Organização Espanhola Antidopagem (CELAD) no âmbito da operação conhecida como ‘Ilex’, envolvendo sobre o médico Marcos Maynar. A UCI saúda esta valiosa colaboração».


Créditos da imagem: Team Medellin Twitter

PUB
Beeq

Também vais gostar destes!