De acordo com o jornal espanhol Marca, o Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) afirmou em relatório que o Miguel Angel Lopez não se dopou durante a Volta a Itália 2022.

PUB
Beeq

O colombiano, então corredor da Astana-Qazaqtan, foi acusado de ter consumido menotropina durante a corsa rosa, em que veio a desistir devido a uma inflamação que se suspeitou ter sido causada pela droga, e continua suspenso pela UCI, após instauração por esta entidade de um processo disciplinar há nove meses, devido a uma investigação da Guardia Civil na qual aparece pelas suas ligações com o Dr. Marcos Maynar.

Ainda segundo o Marca, o TAD pediu à equipa Astana que pagasse ao seu ex-ciclista os vencimentos devidos desde 2022, por demissão sem justa causa. A estrutura apresentou ao tribunal o relatório da Guardia Civil, que afirmava que Miguel Angel Lopez havia ingerido menotropina durante o Giro 2022, substância supostamente responsável pela inflamação que levou ao seu abandono da corrida.


Créditos da imagem: Team Medellin Twitter

Também vais gostar destes!