A nova Trek Supercaliber 9.8 tem sido nossa companheira de trilhos nas semanas mais recentes, pois estamos a preparar uma review completa a esta fantástica bike de XC de competição que tão bem conhecemos das equipas oficiais da marca.

Na próxima GoRide Magazine trazemos-te assim as nossas impressões completas e detalhadas da Trek Supercaliber 9.8, especificamente sobre esta versão equipada com Shimano XT e rodas em carbono Bontrager Kovee Elite 30.

Para já, não resistimos a resumir por aqui, em jeito de antevisão, alguns pontos que nos estão a convencer em pleno nesta nova bike da Trek. Basicamente, este modelo é uma “bomba”: devora kms, “sente-se” melhor quando andamos a fundo, é muito precisa a transpor obstáculos e pode dizer-se que é fora do comum pela velocidade que permite dar ao andamento. É uma bike de BTT muito rápida. Mas há mais…

1. Trek Supercaliber: design top!

A cor da Trek Supercaliber 9.8 que estamos a experimentar pode não agradar a todos, mas decerto que não “atrapalha” a nossa opinião quanto ao modo como a marca concebeu esta bike ao nível da estética.

Trek Supercaliber

Há muitos pormenores de engenharia que caracterizam o quadro, dos quais falaremos mais na review futura. Agora, é mesmo do look que falamos: toda a estrutura e a forma como o novo sistema IsoStrut está integrado no quadro gera uma envolvência agradável à vista e que não deixa ninguém indiferente.

Nos trilhos e na estrada, a Trek Supercaliber faz virar cabeças. E quem percebe do assunto pergunta-nos mesmo como se está a portar a máquina, visto que se trata de uma bike de BTT que por enquanto ainda não se vê muito pelos trilhos.

2. A leveza do conjunto

Por causa do IsoStrut que referimos acima, a Trek Supercaliber não é exatamente uma hardtail e também não parece uma bicicleta de suspensão total. Diz a marca que se trata de uma bicicleta de competição de XC que junta o melhor dos dois mundos, dado que oferece o peso baixo e a eficiência de uma hardtail em conjugação com o controlo e tração de uma bicicleta de suspensão total.

Trek Supercaliber

Concordamos. São pouco mais de 10 kg (já com pedais) e que ajudam a ter controlo total em qualquer tipo de trilho. Mas em especial nos mais rápidos e técnicos ao mesmo tempo. É a génese XC da máquina que vem ao de cima nessas situações.

3. Manuseio e precisão

Sem dúvida que esta é uma das bicicletas que já testámos que apresenta uma das mais baixas “testas” de quadro, o que lhe confere uma enorme agilidade e uma inserção em curva irrepreensível.

Trek Supercaliber

Conseguimos colocar a bike em qualquer lado, mesmo em situações quase reflexas ou imprevisíveis. Resultado: quando pensamos que estamos a abusar, que vamos no limite e que uma eventual queda está eminente, a bike ajuda a corrigir e “safamo-nos”. Isto é importante.

4. Para competir?

Aqui não haja dúvida: a Trek Supercaliber é uma solução encontrada pela marca a pensar na competição XC. E, obviamente, para quem deseja ter nas mãos uma bicicleta deste calibre e que garante desempenho de competição.

Trek Supercaliber

Porquê? Por causa do que notamos de uma forma geral em todos os momentos em que a levamos ao limite: máxima eficiência de pedalada nas subidas e nos sprints, e ao mesmo tempo velocidade em terrenos mais complicados e nas descidas.

5. Sistema IsoStrut

A Trek apelida-o de revolucionário. Nós preferimos dizer que é a grande “magia” desta nova Supercaliber: o IsoStrut, o novo amortecedor estrutural integrado no quadro e que foi concebido em parceria com os engenheiros da Fox.

Trek Supercaliber

Este sistema de amortecimento traseiro ajustável com 60 mm de curso está integrado no top tube da bike. É uma tecnologia exclusiva da Trek que ajuda a evitar a torção e as respetivas flexões, em teoria. As escoras superiores sem pivô retiram peso ao conjunto e fletem ativamente para absorver os impactos dos trilhos.

Na prática, juntamente com uma suspensão dianteira Fox Performance 32 Step-Cast de 100 mm (e com espigão e guiador em carbono da Bontrager), o IsoStrut está a ser capaz de nos surpreender. É difícil percebermos efetivamente se se trata dum sistema superior aos que se conhecem de outras marcas, mas é certo que transmite grandes sensações a quem está na bike e a quem está habituado a andar com modelos de suspensão total.

Conseguimos muita velocidade em todas as situações, às vezes até mais do que é recomendável nalguns trilhos técnicos, e conseguimos obter um real equilíbrio entre as prestações “diretas” de uma hardtail com o conforto/versatilidade de uma suspensão total. Desempenho é a palavra. E surpresa, também, pois é sempre bom experimentar algo novo e que consegue inovar neste segmento.

Para uma antevisão, o texto já vai longo. Na GoRide Magazine #01, disponível gratuitamente em meados do mês que vem, fazemos questão de contar e mostrar muito mais sobre a Trek Supercaliber 9.8. E há muito para dizer, acredita!

Mais info:

Trek Supercaliber