Tem sido uma das “novelas” do defeso no ciclismo. Para onde irá Mark Cavendish? Desde agosto que a B&B Hotels-KTM é falada como destino. Mesmo sendo uma ProTeam (segundo escalão), é muito provável que receba o convite para a Volta a França, a corrida que o britânico mais quer, para tentar tornar-se no recordista de vitórias de etapas. Qual o problema da equipa? Falta dinheiro para completar o orçamento e ainda nem se inscreveu.

PUB
Garmin

O prazo na UCI terminou a 15 de novembro, mas, segundo o Cycling Weekly, a formação francesa recebeu uma prorrogação para tentar angariar os patrocinadores necessários para completar o orçamento, de forma a continuar a ter uma licença do segundo escalão. Jérôme Pineau, diretor da equipa, afirmou que está à espera de respostas. Contudo, o risco de não conseguir continuar com o projeto a este nível é bem real.

“O futuro da equipa está ameaçado, mas estamos a manter-nos bastante otimistas”, garantiu Pineau, em declarações ao RMC Sport. O diretor responsabiliza a atual situação económica e social que se vive na Europa, mas disse que vai acreditar “até ao último minuto”.

“Tive muitas reuniões com muitas empresas. Não estamos à espera que algo aconteça para termos uma equipa masculina, uma de topo feminina e uma academia.”, explicou.

“Tenho cinco empresas que querem apoiar-nos. Concretamente, estamos à espera de respostas nos dias 21, 28 e 29 de novembro. São possibilidades muito sérias”, realçou.

Porém, não esconde que, se todas disserem que não, então a equipa não terá condições para continuar como ProTeam. O objetivo serão 15 milhões de euros, sendo que três deverão partir da B&B Hotels, que se manterá como patrocinador, refere o Cycling Weekly.

Cavendish quer ir para a B&B Hotels

Jérôme Pineau também falou sobre Mark Cavendish, que se tornaria na grande contratação da equipa. O britânico, de 37 anos, quer desesperadamente um lugar numa formação que lhe permita ir ao Tour e alcançar a vitória de etapa que lhe falta para ser o recordista. Neste momento, com 34, está empatado com Eddy Merckx.

PUB
Garmin

Cavendish ficou desiludido por não ter sido chamado pela sua atual equipa, Quick-Step Alpha Vinyl, para o último Tour, perdendo espaço para Fabio Jakobsen, o sprinter número um da formação belga. O contrato com o britânico acabou por não ser renovado.

Pineau vê a contratação de Cavendish como uma forma de dar mais um passo no crescimento de uma estrutura que surgiu em 2018. “Se ele não acreditasse no nosso projeto, já teria assinado por outra equipa. Ele quer estar connosco. Eu quero que ele esteja connosco. Contudo, de momento, tenho de dizer que ele não faz parte da equipa”, frisou o responsável.

Nem Cavendish, nem outro ciclista assinou contrato. Pineau explicou que estes estão prontos a serem entregues aos atletas e tal acontecerá no momento em que as garantias financeiras estejam confirmadas.

É que além do sprinter, a B&B Hotels-KTM quer contar com ciclistas para ajudarem Cavendish. Ou seja, fazerem parte do seu “comboio”. O neerlandês Cees Bol (DSM), o australiano Nick Schultz (BikeExchange-Jayco) e o britânico Stephen Williams (Bahrain-Victorious) são apontados como possíveis reforços.

Também vais querer ler…

Intermarché-Wanty-Gobert anuncia ‘contratação’ de Cristiano Ronaldo

PUB
Nova Mondraker Dune

Fotografia: GettySport/Facebook Quick-Step Alpha Vinyl

Também vais gostar destes!