Os Campeonatos Europeus têm nova data e local. Plouay, em França, vai receber as corridas no que será cerca de uma semana de muito ciclismo na região da Bretanha. Haverá ainda Nacionais e uma clássica World Tour pelo meio.

- - - Pub - - -

Specialized Recolha em Loja

Em tempo de confinamento e com muitas corridas a serem adiadas e outras canceladas, os Europeus de Trento foram uma das competições que ficou sem efeito para 2020. Contudo, a União Europeia de Ciclismo (UEC) manteve a cidade italiana como o local dos Europeus para 2021.

Em 2020, os Europeus chegaram a parecer algo quase impossível, o que significaria que o italiano Elia Viviani (Cofidis) e a holandesa Amy Pieters (Boels-Dolmans), seriam os campeões em título até ao próximo ano. Porém, a UEC não desistiu de tentar que em 2020 os Europeus fossem mesmo disputados, numa altura em que o ciclismo vai sendo retomado em vários países e com o calendário World Tour previsto arrancar a 1 de agosto.

“Dado a difícil temporada devido à crise sanitária do covid-19, ser possível organizar os Campeonatos Europeus de estrada é, sem dúvida, uma grande fonte de conquista e orgulho. Desde o início da crise sanitária que afetou todo o mundo, que trabalhámos incansavelmente para tentar salvar e, se possível, marcar eventos. Após o adiamento dos campeonatos de Trento (Itália) para 2021, iniciámos uma série de contatos para não perder o nosso maior evento”, salientou Rocco Cattaneo, presidente da UEC.

Calendário

Plouay, na zona da Bretanha, vai assim ser palco de uma altura do calendário algo intensa. Os Europeus vão realizar-se entre 24 e 28 de agosto, mas com uma “pausa” no dia 25. No fim de semana antes estão agendados os Nacionais franceses.

No dia 25 realiza-se a Bretagne Classic – Ouest-France, que os ciclistas poderão competir, se assim pretenderem, apesar de nos Europeus estarem ao serviço das respetivas seleções.

A 29 de agosto começa a Volta a França, mas a corrida de elite masculina realiza-se no dia 26, de forma a dar tempo aos atletas estarem prontos para o Tour. Porém, os serem Europeus tão próximos da prova de três semanas, poderá afastar alguns ciclistas, que não vão querer arriscar nenhum problema que os possa afastar do Tour.

Quanto ao percurso, estão a ser ultimados pormenores antes de ser anunciado. Estão ainda a ser preparados os protocolos sobre as medidas de segurança que serão implementadas, devido à pandemia.

As corridas

24 de agosto (segunda-feira: contra-relógio individual feminino e masculino de juniores, sub-23 e elite;

26 de agosto (quarta-feira): prova de fundo de sub-23 feminina e de elite masculina;

27 de agosto (quinta-feira): prova de fundo de sub-23 masculina e de elite feminina;

LÊ TAMBÉM:  Daniela Reis, o nome que marcará a história do ciclismo feminino português

28 de agosto (sexta-feira): prova de fundo de juniores feminina e masculina; prova de estafetas mistas (contra-relógio por equipas).

Os campeões

Os ciclistas profissionais puderam começar a participar nos Europeus em 2016, com o eslovaco Peter Sagan a ser o primeiro campeão. Seguiu-se o norueguês Alexander Kristoff, o italiano Matteo Trentin e o compatriota Elia Viviani. No entanto, a colocação em agosto das corridas nos últimos três anos fez com que os Europeus sejam um objetivo para poucos atletas e o pelotão não tem sido dos mais fortes.

Em 2020, os Europeus iam ser novamente em setembro, tal como em 2016, entre 9 e 13, numa tentativa de seduzir mais atletas. A pandemia obrigou a uma mudança de planos, mas em 2021 a intenção será regressar ao plano inicialmente previsto para este ano.

Quanto às senhoras há um domínio holandês. Anna van der Breggen venceu em 2016 e Marianne Vos no ano seguinte. A italiana Marta Bastianelli “intromete-se” nesta lista, que tem Amy Pieters, outra holandesa, como a detentora da camisola de campeã da Europa.

GoRide

Subscreve a Newsletter GoRide!

Todos os artigos diretamente no teu email.