“Desde o nosso começo que somos apaixonados por bicicletas”, diz a Specialized à medida que inícia a apresentação desta grande novidade entre o universo das e-bikes urbanas lançadas este ano. Já sabíamos isso. O que não sabíamos é que a nova Specialized Turbo Vado SL poderia aparecer-nos com um peso… abaixo dos 15 kg.

Sem dúvida uma grande vantagem para quem procura de momento uma bicicleta deste género, preparada para o “movimento” num ambiente citadino ou noutro qualquer. Mas há muito mais na nova Specialized Turbo Vado SL. Vejamos alguns pontos em particular e que foram amplamente explicados na apresentação virtual que a marca fez hoje a nível internacional.

Nova Specialized Turbo Vado SL

Antes de mais, diga-se que esta não é uma substituição do que mais recente existe na gama Turbo Vado. A 6.0, que até temos em teste exaustivo na nossa GoRide Magazine #00, continua à venda e para um tipo diferente de ciclista, no fundo.

Dito isto, a Turbo Vado SL pesa 14,9 kg e apresenta uma assistência à pedalada de até 2x a nossa força física. A marca garante que a Turbo Vado SL chega a este peso-pluma (40% mais leve que a média das e-bikes) devido ao quadro de alumínio Smartweld, à leveza do motor e à bateria integrada no quadro.

A autonomia é de 130 km, diz a marca, graças a uma bateria interna de 320Wh. Mais: pode chegar aos 200 kms se usarmos a bateria extra Range Extender de 160Wh (instalada na grade de bidão). Estes registos são no modo Eco e  ainda não tivemos oportunidade de verificá-los em teste. A bateria deverá demorar cerca de 2h35m a carregar totalmente.

O motor é o Specialized SL 1.1, que “entrega” até 240 watts de potência e permite chegar aos 25km/hora. Pesa 1,95 kg e tem um invólucro em magnésio.

A app Mission Control entra depois em ação para, como explica a Specialized, “controlar a autonomia, gravar voltas e acompanhar a entrega de potência”. Isto em vários modos de assistência e que até já são conhecidos desta gama da marca: Eco, Sport e Turbo.

O modo Eco corresponde ao esforço do ciclista com até 30% da potência do motor, o modo Sport é soma do nosso esforço com até 60% de potência e o Turbo é a união da força da pedalada com o total da potência do motor.

Tudo gerido pela funcionalidade Smart Control, como sabemos. Por exemplo, podemos inserir a distância, o tempo que desejamos andar ou a quantidade de bateria que desejamos ter no fim da volta. O sistema trata depois de gerir energia para que consigamos alcançar esses objetivos.

Todas as bicicletas desta nova gama estão equipadas de série com travões de disco de 160 mm atrás é à frente, mudanças simples de um prato apenas, e luzes dianteiras e traseiras. Mas os componentes instalados dependem depois da versão escolhidam sendo que estão disponíveis as Turbo Vado SL 4.0, 4.0 EQ e 5.0 EQ. EQ é a indicação de que se trata da vertante com grade de transporte e outros acessórios destinados a um uso mais citadino.

Amortecimento Future Shock

E a partir da versão 5.0, eis que a nova Specialized Turbo Vado SL conta com a ajuda do Future Shock 1.5, um sistema de amortecimento integrado no quadro e que conhecemos de bikes de estrada anteriores da marca. O objetivo é filtar as irregularidades dos percursos, sendo que imediatamente por baixo está uma forqueta em carbono.

Outros “argumento” da 5.0, que custa 4.199 euros, é a transmissão: desviador traseiro Shimano XT e restantes elementos Shimano SLX: manípulos, corrente e cassete (10-45t) de 12x. Pedaleiro 44t.

Já as versões 4.0 (desde 2.999 euros, 3.199 euros na versão EQ) são ligeiramente mais modestas neste campo: transmissão Shimano Deore em todos os elementos. Cassete de 10x 11-42t.

Mas há muito mais para ficar a conhecer sobre a nova Specialized Turbo Vado SL. Basta visitares o site da Specialized e está lá tudo.

[su_button url=”https://www.specialized.com/pt/pt” target=”blank” style=”stroked” background=”#ef2d42″ radius=”20″ icon=”icon: globe-w”]Site oficial Specialized[/su_button]