A 11ª etapa da Volta a França foi uma loucura total, do início ao fim e para todos os envolvidos. Todas a atenções estiveram viradas para a batalha entre Jonas Vingegaard (Visma | Lease a Bike) e Tadej Pogacar (UAE Emirates) nos últimos quilómetros, mas cerca de 30 segundos atrás outra dupla lutava entre si e para reduzir a desvantagem para os líderes, Remco Evenepoel (Soudal Quick-Step) e Primoz Roglic (Red Bull-BORA-hansgrohe).

PUB
Specialized Levo

E na última descida do dia, o esloveno caiu. A roda traseira da sua bicicleta derrapou e o corredor demorou vários segundos a retomar, atrasando-se irremediavelmente…

Enquanto Remco Evenepoel terminou a etapa a 25 segundos do vencedor Jonas Vingegaard, Primoz Roglic cruzou a linha com 55″ de atraso para o dinamarquês. Se a classificação oficiosa, por um momento, mostrou que o esloveno tinha sido creditado com essa desvantagem, o colégio de comissários mais tarde concedeu-lhe o mesmo tempo de Evenepoel.

Com efeito, mesmo que se trate de uma etapa de montanha, a regra dos 3 quilómetros (que permite ao corredor ser vítima de um incidente mecânico ou de uma queda ser creditado com o mesmo tempo do grupo/corredor em que se inseria/estava antes do problema) foi aplicada neste caso.

Portanto, Roglic está a 2.15 minutos de Pogacar na geral e não a 2.45, como surgiu inicialmente na tabela, se tivesse perdido 55 segundos.


Crédito da imagem: LeTourt Twitter- https://x.com/LeTour/status/1811042520098594834/photo/1

PUB
Nova Mondraker Dune

Também vais gostar destes!