O que têm em comum duas das mais icónicas campeãs do mundo de XCO do momento? Se estivermos a falar de material instalado nas suas bicicletas e, mais concretamente, de pneus, estão a resposta reside nos novos Vittoria Mezcal XC.

PUB
Beeq

Sendo este um modelo que a marca italiana aponta claramente ao XC de competição, foi esta a “borracha” usada por Pauline Ferrand-Prevot para se sagrar este ano campeã do mundo de XCO em Les Gets (venceu tanto a corrida principal de XCO como o XCC). E também por Gaia Tormena, que se sagrou igualmente campeã mundial, mas de XCE, e em Barcelona.

Os Vittoria Mezcal apresentam-se com uma única faixa e com um perfil com tacos relativamente baixos. Diz a marca que a parte central tem uma resistênca muito reduzida à rodagem. Nas laterais, os tacos são um pouco mais “agressivos”, “para proporcionar mais tração nas curvas”.

Estas características destacam-se entre um outro “pormenor” interessante: é que as profissionais de XC estão hoje a levar para os trilhos larguras de pneus que há uns tempos nem se imaginava serem sequer montados numa BTT de XC. Se antes a escolha recaía nas 2,00” e 2,10”, hoje usa-se 2,25”-2,35”. Estes Vittoria Mezcal XC, por exemplo, estão disponíveis com medidas entre 2,10” e 2,60” (roda 29”).

A versão Mezcal TNT, que é a escolhida de Pauline e Gaia, baseia-se no composto patenteado 4C  da Vittoria, que vem reforçado com grafeno, “o que melhora a tração, a durabilidade e a reduzir o peso”. Por falar nisso, estes TNT de 29” pesam 680 gramas.

PUB
Schwalbe Pro One Tubeless

Mas o que é o 4C? Basicamente, é a utilização de quatro compostos diferentes de borracha (existem pneus feitos com apena um, com dois, com três…). Os fabricantes nunca dão detalhes extra sobre os compostos em si, mas vão alterando essas propriedades em função do tipo de pneu que querem fazer e da parte do pneu em si.

Podes conferir todas as características deste modelo de pneus da Vittoria no site oficial da marca, link abaixo.

Mais info:

Também vais gostar destes!