Se dúvidas havia que as bicicletas de gravel vieram para ficar (há quem julgue ainda que se trata de apenas uma mera moda passageira…), têm sido os próprios fabricantes a dissipá-las a todas. Encontramos cada vez mais modelos, e estes com cada vez mais opções disponíveis e variantes a ter em conta. Esta Superior X-Road Team Comp GR 2022 é um exemplo disso mesmo.

PUB
Prototype

Porque, felizmente, toda a estrutura da bicicleta herda o que de bom a Superior tem nas suas bicicletas de estrada de gama média, acabando por dar a esta versão uma boa relação entre desempenho, velocidade, componentes e preços. Falamos de 2.469 euros.

E a primeira impressão que tivemos em relação a esta Superior X-Road foi simples, o que também funciona desde já em jeito de resumo rápido: esta gravel é muito “positiva”, é bastante elegante, com acabamento matte e um design simples e direto. Uma “máquina” talhada para a velocidade na gravilha (e não só…), sem compromissos.

E ainda um quadro em que a palavra “rigidez” tem muito do protagonismo. Aliás, máxima rigidez, o que traz velocidade e desempenho: fora da estrada de asfalto, mas também nela. Um design “direto ao assunto”, na busca da melhor pilotagem, da experiência perfeita.

PUB
Schwalbe Pro One Tubeless

Além disso, olhando em frente em cima desta Superior vemos integração: quadro, garfo e cockpit, numa simbiose equilibrada entre aparência e funcionalidade, num look premium. E numa gama média, não esqueçamos… Mas tudo isto traduz-se exatamente no quê? Vamos ao teste propriamente dito!

Superior X-Road: resultado premium

Ao andarmos na bicicleta pela primeira vez ficamos com a sensação de produto premium. O cockpit é sóbrio e clean: o avanço como que flui do quadro, apesar de não ser integrado.

Todos os cabos entram diretamente no quadro logo no avanço, escondidos por uma engenhosa peça de plástico que faz a junção dos cabos. Além da vantagem aerodinâmica, o aspeto visual também sai valorizado da equação.

PUB
KTM E-Bikes BTT

Uma excelente sensação all-round: o quadro Carbon X-Road Race Mid Modulus da marca, mesmo não sendo dos mais confortáveis que podemos encontrar no segmento gravel, é, sobretudo, muito rápido e responsivo.

A forqueta X-Road Team Comp 28″, com eixo passante de 12 x 100 mm cumpre a sua função com competência, ajudando a absorver pequenos impactos e irregularidades no terreno, ao mesmo tempo que mantém a rigidez em pavimentos menos acidentados.

O comportamento na estrada tradicional asfaltada é surpreendentemente bom, mesmo com pneus específicos de gravel.

No entanto, é nos caminhos de gravilha fina e terra compacta que esta bicicleta verdadeiramente ganha vida e mostra as suas qualidades: poder de aceleração, rapidez, eficiência na pedalada. Longos caminhos de gravilha sempre percorridos com muita fluidez e velocidade.

Subidas não são adversário para esta Superior. Tenhamos nós pernas para acompanhar, esta bicicleta não deixará ninguém ficar mal naquela subida mais íngreme. Em terra compacta, gravilha fina e asfalto, conseguimos ter sempre tração, mesmo em pendências de 16%!

PUB
Orbea Genius Dealers

Em descida, a bicicleta transmite boas sensações, assim o terreno o permita. Quando as características do terreno apresentam aquele tipo de gravilha mais grossa, com pedras, raízes e irregularidades muito vincadas, é necessário redobrar a atenção.

A direção fica mais “solta” e os solavancos acordam os nossos sentidos, avisando que é necessário prestar atenção. Esta situação pode ser parcialmente mitigada com a escolha de outros pneumáticos, mais específicos para terrenos mais acidentados (este modelo testado tinha pneus all round…).

Fiabilidade nas mudanças

A transmissão Shimano GRX de 11 velocidades (com cassete SunRace 11-42t, e pedaleiro monoprato 40t) transmite solidez, precisão, robustez e muita fiabilidade ao conjunto. O costume neste conjunto, no fundo. Trocas de relação suaves, precisas, sempre com confiança, mesmo após muitos quilómetros rodados.

Simplicidade é a palavra de ordem num sistema monoprato, sendo que a relação das velocidades se mostrou suficiente nos nossos testes: rolar facilmente em terra acima dos 30 km/hora, subir (com alguma dificuldade…) rampas de gravilha de 16%, rolar em asfalto até 50 km/hora.

A escolha de uma transmissão poderá, no entanto, ser sempre uma decisão altamente subjetiva e condicionada, não só pelo nosso nível físico, mas também pelas características dos caminhos que pretendemos percorrer.

As rodas DT Swiss G 1800 Spline DB25 tubeless ready estão à altura dos restantes componentes, com características que contribuem para o seu comportamento all-round, mas com robustez suficiente para aguentarem as cargas inerentes a uma rodagem mais vigorosa num bom caminho de gravilha.

As rodas DT Swiss G 1800 Spline DB25 tubeless ready estão à altura dos restantes componentes.

Sem vibrações nem ondulações, uma boa roda de liga de alumínio. Trazem montados uns Schwalbe G-One Allround RaceGuard 28 x 1.50″ – ou 700 x 40. Comportamento muito bom em asfalto, poderá, no entanto, ser necessário algo mais “agressivo” para uma abordagem mais vigorosa a um caminho de gravilha mais irregular.

Na hora de abrandar, o sistema de travagem escolhido também está a cargo da Shimano, BL-RX600 à frente e RX400 à retaguarda. Cumprem perfeitamente a sua função, parando a bicicleta com eficiência, com uma travagem sempre modular, capaz, mas sem ser brusca.

Em complemento

O guiador é um ONE1 Alloy, versão X-Race Aero, 16° flared e com 70 mm, alumínio, com características aero. A uni-lo ao quadro temos um ONE1 TDS-660 também aero e também em alumínio, que funciona também como ponto de entrada da cablagem. Dois componentes em perfeita simbiose com os restantes, o que enriquece o conjunto.

O selim é um Selle Royal Seta Performa, um selim que, sem ser pesado, é muito confortável e ergonómico. Ficámos verdadeiramente surpreendidos com a qualidade deste selim, em conforto não fica atrás de ofertas bem mais onerosas. A segurá-lo temos um espigão ONE1 Carbono SP0225380 Aero, um componente totalmente aero, e agora sim em carbono. Novamente, muita integração com os restantes componentes, até porque o parafuso de aperto situa-se no top tube.

Alguns destaques:

A geometria…

Todo o quadro em carbono X-Road Race deixa-nos bastante confortáveis na bicicleta. Não há qualquer sistema de amortecimento, por este preço seria impossível encontrá-lo por aqui, mas a forqueta X-Road Team Comp 28″ Carbon até se porta bem.

O sistema Shimano GRX

Pela fiabilidade, todo o conjunto Shimano GRX, neste caso de 11x, dá cartas no segmento do gravel. Nesta Superior isso não é diferente, sendo que temos um monoprato 40t e uma cassete 11-42t. Não é preciso estar num pico de forma brutal, mas este grupo “puxa” um bocadinho…

Boa travagem

É curioso vermos uma escolha diferente de roda para roda: Shimano BL-RX600 Disc à frente, BR-RX400 Disc atrás. Mas até faz sentido, vendo bem, e funciona eficazmente. Mesmo nos trilhos, como podemos ver pelos vídeos acima e abaixo.

As rodas DT Swiss

Um dos pontos fortes, se bem que não temos a certeza se é este par de rodas que está de origem nesta versão da Superior X-Road. Estas DT Swiss G 1800 Spline DB25 são bastante all around, tal como os pneus Schwalbe G-One Allround RaceGuard, o que nos permitiu notar uma boa performance tanto na gravilha como no asfalto.

A nossa avaliação

Mais uma vez repetimos uma das ideias-chave nesta bicicleta: a Superior X-Road Team Comp GR 2022 herda das suas “irmãs” estradistas algumas das características principais. E estamos a falar de rigidez, desempenho, aceleração, velocidade.

O comportamento em plano, seja ele asfalto, terra compacta ou gravilha fina, é sublime, e, ao mesmo tempo, “brutal”; uma “descarga” de velocidade furiosa e adrenalina, desde que haja “mãozinhas” para ela (e pernas, também!).

De resto, linhas modernas, sóbrias, uma pintura linda de morrer, sem esquecer os componente à altura do valor que é pedido pela marca. Uma grande all-round: o difícil será escolher se vamos para o asfalto ou para a gravilha, porque a bicicleta garantirá um sorriso no nosso rosto em ambos os casos!

Pontos mais positivos

  • Estética e design: tudo muito “direito”, direto e orientado para a performance.
  • Comportamento all-round, o que nos abre bastante os horizontes em relação aos caminhos por onde podemos passar (e em relação ao tipo de voltas que podemos dar…).
  • Responsiva e veloz, com comportamento que surpreende tendo em consideração o preço.

Pontos a melhorar

  • O comportamento em gravilha mais grossa e em descidas mais acidentadas requer atenção (e perícia) extra, caso contrário pode haver lugar a alguns imprevistos. Aconselhamos cautela a descer trilhos mais técnicos e “atribulados”, pelo menos nas primeiras utilizações (e quanto não nos habituamos a esta Superior…).

Especificações da Superior X-Road Team Comp 2022:

  • Quadro: Superior X-Road Race Carbon
  • Forqueta: Superior X-Road Team Comp 28″ Carbon
  • Desviador e manípulo: Shimano GRX RD-RX812 Shadow Plus 1×11 velocidades
  • Eixo pedaleiro e pratos: Shimano GRX FC-RX600 40t
  • Cassete: SunRace CS-MS7 11x (11-42t)
  • Corrente: KMC 11x
  • Travão dianteiro: Shimano BL-RX600 Disc
  • Travão traseiro: Shimano BR-RX400 Disc
  • Rodas: DT Swiss G 1800 Spline DB25
  • Pneus: Schwalbe G-One Allround RaceGuard 28 x 1.50″
  • Guiador: ONE1 X-Race Aero alumínio 31.8 mm | 70 mm
  • Avanço: ONE1 TDS-660 alumínio 31.8 mm
  • Selim: Selle Royal Seta Performa
  • Espigão de selim: ONE1 Carbono SP0225380 Aero
  • Peso: 9,1 kg
  • Preço: 2.469 euros

Todas as fotos (clica/toca para aumentar):

Pormenores (clica/toca para aumentar):


Vídeos POV adicionais:

Single Á Dos Carneiros
Superior X-ROAD TEAM COMP - Raw Video
O Castro da Pedra do Ouro - Versão Completa

Mais info:

Importador para Portugal:


Neste teste:

  • Texto e teste: Nuno Granadas e Jorge D. Lopes
  • Fotos: Jorge D. Lopes
  • Vídeo: Jorge D. Lopes e Nuno Granadas
  • Rider: Nuno Granadas

Caso detetes algum erro ou tenhas informação adicional que enriqueça este conteúdo, por favor entra em contacto connosco através deste formulário.

Também vais gostar destes!