“Ciclismo de aventura”. Estas são palavras mágicas proferidas pela Shimano na hora de caracterizar esta primeira série completa de componentes para bikes de gravel. Pelo menos para nós, amantes confessos de uma boa aventura em cima da bicicleta. E todo o lote Shimano GRX promete: apresenta-se com múltiplas opções, incluindo sistema de transmissão simples e duplo, mecânico ou com mudanças electrónicas, com 11 ou dez velocidades e sistema integrado.

- - - Pub - - -

Cube Stereo Hybrid HPC 160

A gama Shimano GRX, desenvolvida tendo em conta o feedback dos pilotos no terreno nos mais diversos segmentos e níveis de competição, é composta pelas séries RX800, RX600 e RX400. Respetivamente, estas são transmissões de 1 x 11, 2 x 11 e 2 x 10 velocidade, com sistemas de comutação mecânicos ou Di2 e três opções de cranques. Os kits são assim constituidos por estes componentes e ainda por mudanças da frente e de trás, sistema de travão de disco com uma manete de travão secundária para topo de guiador e manetes STI hidráulicas.

Curioso é repararmos que este sistema Shimano GRX vai utilizar correntes e cassetes tanto de montanha (Deore XT, SLX ou Deore) como de estrada (Ultegra, 105, Tiagra), claro. Mas vejamos cada componente mais em pormenor, pelas palavras da própria marca, em comunicado.

Pedaleiros Shimano GRX

Toda a gama foi aumentada com + 2,5 mm na linha de corrente para garantir um aumento na distância, o que permite a montagem de pneus  mais largos. Os pedaleiros simples GRX têm apenas necessidade de trabalhar com sistemas de comutação traseiro (cassetes RX800/RX600 40D ou cassetes RX800 de 42D). Para melhorar a retenção e evitar ressaltos em terrenos mais acidentados, as rodas pedaleiras utilizam a tecnologia de dentes Shimano’s Dynamic Chain Engagement.

Já o pedaleiro duplo GRX RX810, com uma diferença de 17D e uma relação de andamentos 48-31D, é o racio de mudança mais largo da marca; juntamente com os pedaleiros duplos RX600-11/10vel, com opções 46-31D, garantem uma vasta gama de andamentos ideais para lidar com as subidas e descidas mais agrestes. Os pedaleiros GRX 1 x 11 FC-RX810-1 e FC-RX600-1g; e 2 x 11 FC-RX810-2, FC-RX600-11 e RX600-10 pesam 655, 753, 722, 816 e 819 gramas. 

Mudança frente GRX (FD)

Complementado os pedaleiros as mudanças da frente Di2 (FD-RX815) ou mecânicas (FD-RX810/RX400) foram desenvolvidas para funcionar com uma maior linha de corrente 2,5mm para suportar pneus mais largos (medidas até 42mm). Isto significa que as mudanças da frente GRX  devem ser combinadas com os pedaleiros duplos com linha corrente +2,5mm. Todas as mudanças da frente foram desenvolvidas para garantir as melhores performances de comutação. As mudanças da frente Shimano  DI2 podem ser perfeitamente ajustadas usando os controles integrados do sistema Di2, enquanto que a mudança mecânica  com uma passagem extremamente suave, traz uma construção de fixação de cabo  que permite ter mais opções de passagem de cabo e um parafuso de ajuste de tensão de cabo para um ajuste mais fácil e preciso.

LÊ TAMBÉM:  A evolução da BH Ultralight EVO

Mudanças Trás GRX (RD)

Adoptando a tecnologia introduzida em 2018 com a mudança Shimano traseira RX, as mudanças GRX Di2 (RD-RX815/RX817) ou as mecânicas(RD-RX810/RX812/RX600) foram desenhadas para funcionar com passagens suaves , silenciosas  e confiáveis  nos terrenos mais acidentados, com o sistema estabilizador denominado SHADOW RD+ conseguimos aumentar a tensão da corrente, evitar ruídos da corrente na escora e ressaltos na cassete, melhorando desta forma a performance de passagem das mudanças. O GRX chega ao mercado com 4 opções de mudança traseira dependendo da cassete ou do modo de comutação que se pretenda utilizar.  Um ciclista que utilize uma cassete 11-30/34D da gama Ultegra, 105 ou Tiagra  irá precisar de utilizar uma mudança com caixa mais curta, a mudança Di2 RD-RX815 ou a mecânica RD-RX810, enquanto que ciclistas que utilizem cassetes 11-40/42D das gamas Deore XT, SLX ou Deore necessitam de uma instalar uma mudança de caixa mais longa,  Di2 RD-RX817 ou mecânica RD-RX812, ambas têm um racio de passagem muito semelhante às mudanças de trás para estrada da Shimano.

Manetes STI GRX

Com uma ergonomia desenvolvida especificamente para o gravel (Di2: ST-RX815 ou Mecânica: ST-RX810/RX600/RX400, ST-RX810-LA) e características muito específicas tais como, um eixo da manete travão que foi reajustado  +18mm para melhorar o apoio natural da mão, alavanca de travão melhorada para melhorar o apoio dos dedos, um repousa-mãos com uma nova textura anti-derrapante  garante uma melhor aderência em terrenos mais acidentados.

Para se conseguir a integração de espigões telescópicos no estilo Gravel, a Shimano desenvolveu especificamente uma manete mecânica esq. GRX ST-RX810-LA para travão hidráulico que quando utilizada  com o sistema de transmissão simples 1×11 dá a possibilidade de controlar o espigão de selim telescópico, com o mesmo formato e ergonomia da manete direita conseguimos ter um cockpit com um aspecto ‘arrumado’.

A Gama SHIMANO GRX inclui, contundo, conjuntos de manetes de travão hidráulico nas séries RX800 e RX600 sem a opção de controlo remoto. A manete esquerda Di2 1×11(ST-RX815)  inclui 3 botões de operação ( 2 botões laterais e um no topo do repousa-mãos) para funcionar com equipamentos de terceiros como por exemplo luzes ou outros acessórios computadorizados.

Sistemas de travagem GRX

A preocupação primária de um ciclista gravel é garantir que tem potência de travagem para controlar a velocidade em curvas acentuadas e descidas mais íngremes. E é por isso que a série topo de gama RX800 vai oferecer uma variante de travão hidráulico ( ST-RX815) que integra tecnologia ‘Servo Wave’ proveniente dos sistemas de montanha da Shimano. Esta tecnologia permite obter maior potência de travagem com grande capacidade de modulação quando se pretende um ciclismo mais agressivo. Com esta tecnologia basta um ligeiro toque na alavanca de travão para fazer accionar o travão. Estará disponível no mercado as opções RX810 ou RX600 e RX400 para quem preferir apenas instalar um bom sistema de travão confiável mais acessível em termos de valores sem a opção ‘servo Wave’

LÊ TAMBÉM:  Dentro da Volta a Portugal 2020 com Hernâni Brôco

A adicionar à gama de travões, teremos uma manete secundária para travão de disco (BL-RX812-L/R) que se conecta ao circuito principal de travagem na bicicleta na frente ou atrás. Esta manete de travão está desenhada para ser instalada no topo da haste de guiador próximo do avanço, o que permite ao ciclista ter uma opção de travagem quando pedala com as mãos colocadas no topo do guiador ou surge mudanças repentinas de situações.

As ponlasas de travão GRX  (BR-RX810/400) seguem o design Flatmount da Shimano utilizado na estrada de modo a conseguir uma melhor performance de travagem, com funcionalidades de excelência tais como, sistema de sangramento one-way bleeding, pastilhas e discos com tecnologia ICE TECHNOLOGIES  que permite uma maior eficiência na dissipação de calor e arrefecimento do sistema de travagem.

Conjunto de rodas específicas para gravel

Para completar a experiência, a Shimano entrou por completo no espírito do gravel apresentado um conjunto de rodas inspiradas para Gravel/aventura, com eixo passante de 12mm nas medidas de 700C e 650b (WH-RX570-TL-F12/R12), tubeless ready, foram desenvolvidas para garantir um equilíbrio único entre peso, rigidez e durabilidade com uma largura de aro  interior de 21,6mm e altura de aro de 22mm.

[su_button url=”https://gravel.shimano.com/” target=”blank” style=”stroked” background=”#ef2d42″ radius=”20″ icon=”icon: mouse-pointer”]Shimano Gravel[/su_button]

GoRide

Subscreve a Newsletter GoRide!

Todos os artigos diretamente no teu email.