A União Ciclista Internacional (UCI) e o Profissional Cycling Council aprovaram um conjunto de medidas para melhorar a segurança dos corredores.

PUB
KTM

As medidas, que surgem na sequência da gravíssima queda de Fabio Jakobsen no Tour de Polónia de 2020, foram aprovadas durante uma reunião virtual do Comité de Gestão da UCI de 2 a 3 de fevereiro, e serão aplicadas primeiro aos eventos WorldTour masculino e feminino, e serão aplicadas progressivamente a todos os eventos do calendário internacional de competições da UCI.

O Comité de Gestão da UCI deliberou com base nos regulamentos atuais sobre ‘conduta perigosa dos corredores’ para proibir a posição aerodinâmica de muitos ciclistas em descida, conhecida por ‘super tuck’. O ‘super tuck’, em que os corredores apoiam o peito no guiador e sentam-se no tubo superior da bicicleta para ganhar uma vantagem aerodinâmica nas descidas, tornou-se tão comum que a plataforma de simulação Zwift adotou a posição para os seus avatares.

Os corredores também serão proibidos de atirar os bidões para a estrada e em especial no meio do pelotão. Numa primeira fase da implementação desta norma, os ciclistas serão ‘avisados’ pelos comissários ‘para garantir que todos conheçam e entendam as novas disposições e suas consequências’, e a partir de 1 de abril de 2021 já serão sancionados pela infração.

Foto AP/Tomasz Markowski

Mais importante é a deliberação sobre as barreiras que ladeiam a estrada na parte final do percurso das corridas, que serão regulamentadas a partir de 2022 – haverá um modelo padrão e um protocolo para a instalação das mesmas). Antes, a UCI irá impor regras sobre o seu peso e posicionamento, para evitar espaçamento (hiatos) entre estas, o que terá agravado a gravidade dos ferimentos de Jakobsen.

PUB
Giant Trance X Advanced E+ Elite

A federação também pretende melhorar e modernizar ‘as especificações relativas aos elementos de proteção de obstáculos usados ​​ao longo do percurso, bem como a harmonização da sinalização usada’.

O presidente da UCI, David Lappartient, afirma que “a segurança e o bem-estar dos atletas estão no centro das preocupações” do organismo que lidera e diz-se “satisfeito por várias decisões terem sido tomadas para melhorá-las”.

“Depois de 2020, um ano em que a UCI investiu muito para garantir, com sucesso, a realização o maior número possível de grandes eventos, apesar da pandemia Covid-19, o nosso organismo continuará a acompanhar a evolução da situação com todos os seus parceiros e os organizadores das provas, e adaptar as medidas e os protocolos de saúde para garantir que a temporada de 2021 seja o mais tranquila possível”, esclareceu Lappartient.

PUB
Specialized Levo

Também vais gostar destes!